-->

Páginas

13 julho 2009

Curso de Preparação para o Matrimónio

Also known as CPM. Quem casa pela igreja católica já sabe que tem que apresentar um certificado de frequência de um CPM. Há CPMs de 3 fins-de-semana, outros de 6. O nosso foi intensivo: um dia apenas, seis temas debatidos (os temas são os mesmos para todos os cursos, aqui e na China).

Nós achámos que íamos apanhar uma valente seca, que não íamos ouvir nada que não soubessemos já... mas enganámo-nos redondamente.

Esclarecimento prévio: sim, somos católicos. Não somos aqueles católicos que vão à missa todos os domingos (nem nada que se pareça), mas somos aqueles católicos que acreditam, à sua maneira. Para nós, casamento só faz sentido assim, pela igreja. Porque não nos interessa celebrar um contrato meramente judicial um com o outro, mas sim assumir perante deus que queremos viver juntos para sempre. Sim, já sei: o casamento não muda nada. Não?

Sábado, depois do CPM, mudámos de opinião. Ambos sentimos que o casamento vai mudar qualquer coisa, sim. Não conseguimos explicar o quê...

Éramos 20 casais, sendo que a minoria eram casais que ainda não viviam juntos. Ninguém julgou ninguém, ninguém criticou ninguém por estas (e outras escolhas) dos casais. Sentimo-nos apoiados, esclarecidos por outros casais que já levam uns aninhos disto.

No nosso sub-grupo estavam dois casais daqueles que assumem que casam pela igreja porque sim, porque é giro e porque a família assim espera. O terceiro casal vai casar com disparidade de culto: o noivo é ateu, não é baptizado mas entende a vontade da noiva e casa pela igreja, na conição de não ter que ser baptizado (daí a disparidade de culto). Nós... casamos pela igreja porque queremos, porque acreditamos, porque só faz sentido assim.

Resumindo: foi um dia de muita conversa, muita descoberta, muita partilha. Foi um daqueles dias que nos enche por dentro.
Eu passei metade do dia com lágrimas nos olhos. Aquilo mexeu mesmo comigo. O senhor meu noivo passou metade do dia verde, completamente mal disposto. Não suporta incensos e ia caíndo para o lado...

1 comentário:

  1. No meio de tanta variedade de crenças (ou falta delas) há que apontar que para a igreja aceitar essas situações está mesmo desesperada por angariar novos fiéis, ou qualquer coisa do género...

    De resto, é bom que tenhas saído de lá mais enriquecida, eu acredito que algo muda no casamento, mas não tem necessariamente de ser mau. Acredito que vão construir uma boa vida juntos.

    ResponderEliminar

Obrigada!