-->

Páginas

15 outubro 2009

Fotos da lua-de-mel


Eu podia pôr-me aqui a mostrar cada canto e recanto de Roma, Florença e Veneza. Podia. Mas para isso teria que escolher algumas de entre mil e tal fotografias. E se há coisa de que estou um bocado cansada por estes dias é de ver fotografias em lotes de mil e tal. Do casamento são 1700 e tal...

Bom, cá vai...


Roma:
 
Uma viela, de entre muitas por onde andámos. Ficámos alojados no Bairro Alto lá do sítio (aka, Trastevere). Muita vida nocturna, muito bar, muito restaurante, muita animação e, ao contrário do que seria de esperar, muito sossego.


Aqui foi onde eu morri. Para começar, a coisa de que mais gostámos em Roma foi precisamente da Basílica de S. Pedro e restante cidade do Vaticano. E não, não é por fanatismo religioso. É porque aquilo é mesmo grandioso e bonito. Decidimos subir ao cimo da cúpula da Basílica. Eu, que até já tinha andado metida em aventuras parecidas, há 5 anos, em Florença, fingi que não me lembrei do que acontece quando se sobe a pé, em esforço, alarvidades de centenas de degraus. Claro que tive um fanico. Claro que saí de lá a dizer cobras e lagartos do arquitecto daquilo. Claro que me custou. Mas valeu bem a pena!



Eu sou miúda que gosta destas coisas da arte. Renascimento então bate qualquer outra coisa. E esta estátua, que é "só" a "Pietá", do Michelangelo, é qualquer coisa de avassalador.


Desilusão oficial da viagem: o Coliseu. Porquê? Porque aquilo é uma desorganização pegada. Têm serviço e audioguide, mas depois não têm os pontos falados assinalados nos locais. Ou seja, as pessoas andam ali feitas tontinhas, a ouvir falar sobre uma coisa e a ver outra. Mas pronto, é grande, está de pé há uma porrada de anos e... nesse dia à noite deu o Gladiador na televisão e deu para ver a coisa de outro prisma (ah, e o Gladiador foi filmado, não em Roma, mas em Ait Benhaddou, Marrocos, onde tive o prazer de estar em Abril).


Tinha que ser, não é? A fabuslosa Fontana di Trevi, sempre atafulhada de turistas. E sim, atirei 5 cêntimos lá para dentro...

Florença:

Florença é uma das minhas cidades preferidas, a par com Lisboa e Barcelona. Apesar de já conhecer aquilo de trás para a frente, consegui ser surpreendida!...

Claro que depois do cansaço de subir à Basílica de S. Pedro eu não ia repetir a proeza e meter-me a subir à cúpula do Duomo de Florença. Mas ele foi e a vista é... assim... (à entrada estavam umas americanas e começámos a conversar. A dada altura diz uma delas: "os italianos é que sabem fazer dinheiro. Constroem coisas altíssimas e depois cobram para as pessoas subirem lá acima... a pé! As pessoas matam-se a subir escadas e ainda pagam por isso!". Não podia concordar mais...). Enquanto ele foi trepar as escadas eu fui ver se encontrava o hotel onde tinha ficado da outra vez. Passei à porta de uma Sephora, entrei e acabei a ser maquilhada com produtor Benefit... e a comprar dois! E não é que fiquei fã da marca?! Que espectáculo de maquilhagem! Comprei o corrector de olheiras e de tudo e mais alguma coisa, que corrige mesmo, e comprei o pó compacto que... enfim, é brutal!

O Arno... mágico! Desta vez apanhei muito menos confusão de gente e conseguimos atravessar a Ponte Vecchio sem problemas (eu e os ataques de pânico no meio de multidões... enfim...).




Fomos à Galeria Della Academmia ver o David original (desta vez não estive especada quatro horas a olhar para a estátua... mas só porque o museu estava quase a fechar quando entrámos). Esta é a cópia que está à entrada do Palazzo Vecchio, onde não fomos. Fomos, isso sim, à Galeria Degli Ufizzi, que é outro sítio que adoro (e onde ele apanhou uma seca brutal, porque já estava farto de ver quadros e, de facto, depois de ser ver o Museu do Vaticano, tudo o resto é um bocadinho... menor).


Veneza:

Se há coisa de que gosto é de ver ao vivo sítios sobre os quais leio nos livros que me vão passando pelas mãos. O "The Confessor", que entretanto comecei a ler, passa-se em Roma, no Vaticano, em Munique e em Veneza. E começa com um restaurador de arte a trabalhar no restauro de um fresco de Bellini, na Igreja de San Zacharia. Ora o dito fresco é este que está na foto. Sim, desviei-me do caminho planeado para ir ver, ao vivo e a cores, o fresco. E também me desviei para passar pelo Ghetto Nuovo e pelo Ghetto Vecchio, os antigos bairros de judeus de Veneza. E amei...

Passeámos pelos canais, andámos quilómetros e apanhámos um frio que não se podia: 12º... de dia!


Fomos à Piazza di San Marco, que é outra valente desilusão. Subimos ao campanile (eu subi porque era de elevador, senão nem pensar!) e esta é a vista da Piazza lá de cima. Veneza é um conjunto de ilhotas pequeninas de que só se tem verdadeira noção assim, vendo de cima.

E, claro, o típico passeio de gôndola (ou os 80 euros mais mal gastos da minha vida, dependendo da perspectiva)...

E pronto, foi isto. Claro que tiveram que nos acontecer coisas insólitas, como não podia deixar de ser. Por exemplo: estávamos na fila para entrar na Basílica de S. Pedro, em Roma, quando aparece uma senhora em sentido contrário e nos dá dois bilhetes para entrar. Pensámos se aquilo não estaria enguiçado mas resolvemos arriscar. Entrámos (os bilhetes eram válidos, a senhora, por qualquer motivo que não percebemos, não pôde entrar e deu-nos os bilhetes, não quis dinheiro nem nada!). Fomos para a zona das visitas guiadas e fizémos a visita... à borla! Quando uma empregada de lá veio conferir o número de audiosets fizémo-nos de parvos e entrámos, sem problemas. Poupámos qualquer coisa como 40 euros. Depois, em Florença, à entrada dos Ufizzi, aparece um senhor com 4 bilhetes na mão, que já tinha comprado, mas como eram para entrada logo a seguir e ele ainda estava à espera de pessoas, resolveu dar os bilhetes. O meu gajo apanhou um, uma rapariga que estava sozinha apanhou outro, uma rapariga que estava com o namorado apanhou o terceiro e outra rapariga também com o namorado apanhou o último. Uma delas disse logo que nos comprava o bilhete, para ela entrar com o namorado mais depressa. E nós vendemos! Ela ofereceu 20 euros, que era o preço dos dois bilhetes... ou seja, pagou-nos os bilhetes e lá foi ela. Esperámos quase 2 horas, mas entrámos na mesma... Depois fomos para Veneza ver quando é que alguém nos dava bilhetes para alguma coisa, mas já não aconteceu... e ainda bem, que já estávamos era cansados e a querer passear sem destino... 

5 comentários:

  1. Ai que saudades... Com frio e tudo, Itália é linda!

    ResponderEliminar
  2. Bem-vindaaa :) Que maravilha de fotos, então a da ponte vecchio, linda, linda! 80 euros para andar de gondola? AUCH!

    ResponderEliminar
  3. Que máximo! A lua-de-mel deve ter sido fantástica. Tb queroooooo casar!!!! :) Bj

    ResponderEliminar
  4. Itália é uma das minhas grds viagens de sonho :)

    ResponderEliminar

Obrigada!