-->

Páginas

18 novembro 2009

Rifas

Eu tenho a sorte de passar 8, 9, 10 horas por dia com pessoas de quem gosto. Não sabia que ia gostar delas quando quis e aceitei partilhar com elas os meus dias. Afinal de contas era apenas trabalho. Mas em trabalho também se pode fazer amigos.

Trago na minha bagagem de amigos alguns feitos a trabalhar: o João, com quem dividi criatividade durante dois ou três anos. Criatividade e cafés, saídas, jantares, almoços, conversas. Passaram 5 anos desde que deixámos de trabalhar juntos e continuamos amigos como dantes. Menos presentes, é certo, mas igualmente amigos. A Joana, que foi trabalhar para lá por minha causa. Já éramos amigas e continuamos a ser. A outra Joana, que trabalhou connosco no mesmo sítio e de quem fiquei igualmente amiga, apesar de só termos trabalhado juntas um ou dois meses. Eu e as Joanas encontramo-nos amiúde para almoçar. Já não falamos de trabalho, mas partilhamos vidas.

Aqui fiz amigos. Também partilho os meus dias com uma pessoa de quem não gosto muito, mas paciência. As outras compensam. E saber que, quando tenho algum problema pessoal, tenho aqui um ombro amigo é coisa a que dou muito valor. Gosto deles e do trabalho deles, mas gosto ainda mais da amizade deles. Sem hipocrisias.

Se preferia passar 8, 9, 10 horas por dia em casa, com o meu marido e a minha filha? But of course. Mas não conseguiria nunca ser uma stay-at-home-mom. Preciso de ver e estar com gente diferente, a trabalhar. Preciso de fazer mais do que tratar da casa. Não nasci para dondoca, é um facto. Mesmo que fosse euromilionária, trabalharia. Talvez só em part-time, mas lá teria que ser...

4 comentários:

  1. Já fiz bons amigos no trabalho. Foi uma experiência e pêras.
    Agora já não tenho isso. Aqui há bom ambiente e damo-nos bem, mas ainda não sinto o apelo da amizade, daquela assim forte e sentida. Tenho saudades disso, tenho.
    Que sorte que tens!

    ResponderEliminar
  2. E há aqueles todos de quem aprendemos a gostar, para não dificultar os dias.

    ResponderEliminar
  3. também não é vida para mim ficar em casa sempre!

    ResponderEliminar

Obrigada!