-->

Páginas

17 dezembro 2009

Do casamento (homo e hetero, whatever)

Esta coisa de o casamento pressupor a filiação, como diz o Dr. Jorge Miranda (que, para quem não sabe, foi um dos senhores que escreveu a actual Constituição), é coisa que me tira do sério. Eu acho que um casamento não pressupõe porra de filiação nenhuma. As pessoas que casam não são obrigadas a filiar ninguém. A maioria quer ter filhos? Sim. Alguns não querem? Não. E porque não querem ter filhos são impedidos de casar? Não. Alguns não podem ter filhos. E deixam de poder casar por isso? Não. Nem sequer é não quererem ter, é não poderem ter. Logo, o casamento entre eles não pressupõe filiação nenhuma. E daí? Casam na mesma e ninguém lhes pede prova de fertilidade antes.

Portanto, para mim, que sou uma gaja com a mania que é de esquerda, muito liberal, muito para a frente, o dia de hoje marca uma viragem. Se eu fosse gay andava aí a dar pulinhos de alegria. Até podia não querer casar, mas tinha o direito de escolha, como toda a gente. Não sendo gay, ando por aí a dar pulinhos de alegria pelos meus amigos gays que deixam de ser um caso à parte e passam, efectivamente, a ser considerados iguais a toda a gente. Já que pagam impostos como os outros, acho, sei lá, que faz "algum" sentido que tenham os mesmos direitos.

E não se dêem ao trabalho de me vir aqui espetar com artigos disto e daquilo, que eu não quero nem saber. Para mim, um direito, seja ele qual for, é igual para toda a gente. E o facto de a Declaração Universal dos Direitos do Homem ter lá a menção ao casamento heterossexual não me aquece nem me arrefece. Ou antes, faz-me pensar que a dita declaração não é assim tão universal e não tem os direitos do Homem, mas sim os direitos de alguns homens e de algumas mulheres, deixando os outros de fora. Go figure...

Adenda: e um obrigada à Andreia, que me alertou para uma gralha que tinha o texto. 

5 comentários:

  1. só espero muito honestamente que a lei passe.espero que as mentes tacanhas e redutoras não travem este caminho(outra vez). eu sou lésbica, vivo com a minha companheira. por acaso, nós não queremos casar, porque, a nivel fiscal a coisa nao nos interessa, mas já são vários os convites para ir a casamentos.
    tomara que muita gente pense como tu, e ande aos pulos de alegria!

    ResponderEliminar
  2. Não mudava uma vírgula no que disseste, estou de pleno acordo com o que aqui foi dito.
    Ponto.

    ResponderEliminar
  3. Ainda não se pode ficar contente, porque a lei foi aprovada pelo concelho de ministros, mas nao pelo parlamento!
    Estive a ler uns comentários no sapo e fico triste por a maneira como este assunto é tratado!

    ResponderEliminar
  4. Eu sei que isto ainda não é final. E mesmo depois de o Parlamento aprovar, pode vir o Cavaco e mandar aquilo para o Tribunal Constitucional. E o TC achar que aquilo é inconstitucional e acabou a lei... Portanto há que contar com o bom senso do Parlamento. E depois com o do Monsieur Le President!...

    ResponderEliminar

Obrigada!