-->

Páginas

04 dezembro 2009

Essa idiotice chamada feminismo

Eu digo muitas vezes que não dava para dondoca - e por "dondoca" entenda-se ficar em casa a tomar conta dos filhos (se calhar devia usar o outro termo que uso muitas vezes: stay-at-home-mom). Mas. Estou de férias e ainda não parei um bocadinho. Descansar - que é para isso que as férias servem -, 'tá quieto. Na semana que vem vou trabalhar mais cansada do que estava quando vim de férias. E dou por mim a repensar se não me daria bem como stay-at-home-mom.

As idiotas das feministas, quando desataram a exigir direitos iguais, esqueceram-se que, para as coisas serem realmente equilibradas, os homens teriam que abdicar de alguns hábitos (que eu acho que entretanto passaram para o cromossoma Y e, portanto, nascem todos com eles enraizadinhos). Para haver igualdade, os homens teriam que fazer tudo o que as mulheres fazem. E toda a gente sabe que isso é um mito, uma fantasia, um mero fairytale.

Antes de terem desatado a exigir os mesmos direitos em termos de trabalho, as idiotas das feministas deviam ter-se assegurado que teriam em casa quem dividisse irmamente as tarefas com elas. Não aconteceu. Portanto o que aconteceu foi que as mulheres passaram a ter que trabalhar (e, obviamente, não são todas), mas não deixaram de ter que fazer as 1500 coisas que já faziam antes de terem mais oito horas do seu dia empatadas a fingir que são iguais aos homens. Não digo com isto que as mulheres são piores profissionais que os homens. Como em tudo, há para todos os géneros.

Eu trabalho sete horas e meia por dia, às vezes mais. Antes de ir trabalhar já organizei o dia à criança pequena. Depois de sair do trabalho ainda tenho mais umas duas ou três horas de trabalho caseiro pela frente. O meu marido nem é dos que trabalha pouco e chega a casa e não faz nenhum: levanta-se todos os dias às cinco da manhã, começa a trabalhar às seis e só sai às sete e meia da tarde (com uns intervalos pelo caminho, claro) - é o que dá não ter patrões. Mas chega a casa, dá banho à miúda e senta-se para jantar. Põe a miúda para dormir e deita-se ele também. Pelo meio, ali ando eu, a ser mulher e a fingir que sou como os homens. Uma canseira.

6 comentários:

  1. Perdoa-me se discordo da tua opinião e esclareço que os conceitos "feminismo", "direitos iguais" e "segregação sexual" não são sinónimos

    Não sendo, absolutamente, nada feminista não acho de modo algum que as mulheres que defendem essa corrente sejam idiotas. São pessoas com ideais e conceitos diferentes dos meus. Só isso. Acha-las idiotas era o mesmo que eu afirmar que quem acha que ter uma tatuagem no fundo das costas é vulgar é idiota. E não é, é somente uma pessoa com opinião diferente da minha.

    Certo ou errado?

    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Pois, convém que eles ajudem, senão não há mulher que aguente.

    ResponderEliminar
  3. Copy paste da Ana, e mais, em relação aos homens, acho que sendo nós muitíssimo mais inteligentes que eles, temos a obrigação de os guiar no sentido de fazerem o que queremos, nomeadamente tarefas domésticas.
    Ainda não tinha vindo aqui, mas se não te importares vou voltar, gosto disto, assuntos polémicos, opiniões opostas, gosto!

    ResponderEliminar
  4. Pois eu sou das que, volta e meia, pergunta porque raio algumas mulheres vieram reclamar os mesmos direitos que os homens. É que eu tenho o meu trabalho fora de casa e mais os miúdos e a casa para tratar, as refeições, as roupas e tanta mais coisa que não lembra nem ao diabo e embora o H. me ajude nalgumas coisas, não é a mesma coisa....

    Beijoca!

    ResponderEliminar
  5. Querida Marianne,perfeitamente de acordo.
    Acho que sim, que devemos ter direitos iguais, mas o problema è que com os direitos iguais o que aconteceu foi um acumular de tarefas e nao uma partilha...

    ResponderEliminar
  6. ....Ou a mulher tem uma relação com um homem bem sucedido financeiramente e sofre toda a 'opressão do patriarcado' .... Ou arruma um bolha marionete pra te dizer sempre 'amem' . Os dois no mesmo pacote não dá , seria como encontrar uma feminista que sente amor pelos homens. ( Essa equação é tão fácil de resolver...)

    ResponderEliminar

Obrigada!