-->

Páginas

18 janeiro 2010

Do sonho ali de baixo

Eu não tenho a sensação de já ter sonhado aquilo. Eu tenho a certeza absoluta que já sonhei aquilo. Como sei que sonhei uns 2 ou 3 anos seguidos, sempre em Maio, o seguinte:

Amesterdão tem a forma de um daqueles vulcões da Expo, sabem?, os que cospem água, e lá do cimo sai água, tal e qual como nos tais vulcões. E as casas de Amesterdão são todas pegadas umas nas outras (literalmente, jardins que desembocam nos jardins dos vizinhos, sem ruas, sem nada, para se ir do ponto A ao ponto B é preciso passar por dentro de casas atrás de casas). E ali ando eu, a fugir de alguém. Até que entro na minha casa, vou à casa de banho e tenho um golfinho dobrado ao meio dentro da banheira.

Explicações, não sei. Sei que sonhei exactamente isto uma série de vezes, sempre em Maio, como disse ali em cima. Da mesma forma que sonhei duas vezes o sonho explicado lá em baixo, saí saber os caminhos. Não é ter a sensação que sei. É saber mesmo.

Assustador? Sim.

4 comentários:

  1. LOL! Faz-me lembrar a minha mãe que sonha, desde que se lembra de ser gente, que mora numa casa em pedra daquelas tipo mansão, no meio de uma floresta muito verde...

    E este sonho é recorrente e vais endo actualizado com as pessoas da vida dela :D

    Bisouxxx

    ResponderEliminar
  2. Eu acredito!
    Quando era pequena tive 3 vezes o mesmo sonho assustador, metia a casa das minhas primas e bruxas - o meu grande medo de infância e acordava sempre quando estava quase a ser apanhada, mas nem uma única me deixou de assustar.

    ResponderEliminar
  3. Isso fez-me lembrar a Crónica do Pássaro de Corda, do Huraki Murakami. Quase tudo se passa em Maio, é muito estranho!

    ResponderEliminar

Obrigada!