-->

Páginas

15 janeiro 2010

Livros - o lado negro

Mudei de livro aqui há dias, como se sabe. Agora vejam:

Página 30: "A sua cunhada era uma parteira excelente e com experiência; ela avisá-lo-ia se as coisas tivessem a correr mal".

Página 31: "Vestida com uma chemise um pouco gasta que mal lhe cobriam os joelhos (...)".

Página 32: "Tinha vagas memórias de a mamã a ter outros bebés que morreram (...)".

Página 40: "E celebrar eles iriam, mesmo se o bebé fosse outra menina".

Vou na página 46. Não fosse o tema interessar-me tanto e já tinha posto o livro de lado. A tradução está, como se pode ver, uma merda. Revisão de texto... que é isso? E não é de uma editorazeca qualquer; é da Bertrand. Seguirá, obviamente, um mail com as queixas. É que € 19,95 euros por uma coisa deste nível é assalto à mão armada!

12 comentários:

  1. Marianne
    Isso também é coisa para me tirar do sério! Acho de uma irresponsabilidade total a publicação de livros nesses moldes. Para mim, é inadmissível e, tal como a ti, a única coisa que me apetece fazer é, primeiro, pôr o livro de lado e, em segundo, reclamar, reclamar e reclamar!

    ResponderEliminar
  2. Marianne, compreendo-te tão bem!
    Ainda há uns dias fiz uns posts exactamente sobre isso, e um dos livros também era da Bertrand. Irrita-me porque depois não consigo gostar do livro exactamente por esses erros, e fico com pena porque se calhar seria muito bom se não fosse a porcaria da tradução. Parece que ninguém revê as coisas.. Já vi coisas que não lembram nem ao menino Jesus. Agora tenho sempre uma folha de rascunho para anotar os erros mais flagrantes que encontro. Entretanto comprei um livro em inglês de uma autora inglesa e pronto, pude apreciar a obra à vontade!

    ResponderEliminar
  3. Utimamente tem-me acontecido o mesmo e em vários livros, com umas coisas mais gritantes do que outras. Queixei-me disso à dona da livraria onde vou e ela diz para anotar essas coisas e enviar-lhes por mail, que eles corrigem nas próximas versões. Segundo ela, o problema está muitas vezes na poupança. Não se quer pagar ao revisor que fica caro então dá-se ao primo que gosta muito de ler, para ele rever. Provavelmente é poupa-se também no tradutor e por ai fora.

    ResponderEliminar
  4. A Bertrand publica frequentemente más traduções. Foi isso que me fez saltar para a leitura na língua original, sempre que possível. bjs

    ResponderEliminar
  5. Odeio quando isso acontece! E infelizmente acontece em muitos livros. Fazes bem em reclamar.

    ResponderEliminar
  6. Marianne,
    Eu sou tradutora literária e sei que as gralhas "escapam" no meio do trabalho. O que não tem qualquer tipo de desculpa é a falta de revisão.
    Neste caso, alguns dos erros não são claramente falhas de revisão... portanto, no mundo da tradução há de tudo, os bons e os menos bons; pena é que as editoras procurem poupar dinheiro e publiquem trabalhos imperfeitos que não abonam a favor de ninguém; nem dos tradutores nem das próprias.

    ;)

    ResponderEliminar
  7. Parece impossível, de facto merece um email de reclamaçao!

    ResponderEliminar
  8. Também já me aconteceu apanhar traduções grosseiramente mal feitas. Dirigi-me à livraria para fazer a reclamação e devolveram-me o dinheiro na hora!
    Se mandares mail à editora o reembolso é mais demorado, por isso aconselho-te a tratares disso na própria livraria.

    ResponderEliminar
  9. Claramente uma péssima tradução e/ou revisão.

    É que tira-nos logo a pica toda pá!

    ResponderEliminar
  10. Argh... realmente!
    Mas é bom que haja que reclame, senão continuam a dar trabalho aos mesmos incompetentes. O que não falta para aí é tradutores e revisores de qualidade à procura de trabalho (cof cof...).

    São pessoas como estas que dão má imagem à minha profissão, por isso, faço questão de reclamar quando me deparo com estas imbecilidades - e faço-o mesmo com livros da biblioteca ou emprestados. Estragar o prazer da leitura com mau português devia ser crime!

    Nem sempre podemos ler um livro na língua de origem (ou porque não a conhecemos ou porque não está disponível). Mas a ideia por trás da tradução - da boa tradução, claro está - é conseguir transpor as ideias, as imagens, o espírito do livro noutra língua.

    Enfim, mais um exemplo de como o barato sai caro (às editoras).

    ResponderEliminar
  11. Eu já passei a fase em que me indignava com isso - agora estou é parva porque uma amiga minha está a dividir a tradução de um livro com outras duas tradutoras. Por melhor que ela seja, não quero imaginar a salgalhada que dali vai sair...
    E é logo das minhas escritoras inglesas preferidas! Mas também não faz mal, porque leio sempre no original :)

    ResponderEliminar

Obrigada!