-->

Páginas

06 fevereiro 2010

Cultural

Andava há anos a prometer uma visita ao Museu Nacional de Arte Antiga. Foi hoje. Sozinha, agarrei em mim de manhã e lá fui eu, rumo às Janelas Verdes.

Primeira surpresa: o preço. Depois dos € 10 dos Uffizi e dos € 20 do Museu do Vaticano, chegar a um museu deste género e pagar € 4 foi uma agradável surpresa. Não achei grande graça ao facto de metade do museu estar fechado, mas como conto ir lá mais vezes não há problema.

Segunda surpresa: habituada a filas de duas horas para entrar em museus do género, qual não foi o meu espanto quando, não só não havia mais ninguém para entrar, como só vi umas doze pessoas no museu, para além de mim.

O museu deixa um bocado a desejar, principalmente se já se foi a museus de alto gabarito internacional. Mas não deixa de ser interessante, não deixa de se aprender qualquer coisa. Gostei especialmente da Sala Patiño, uma sala completamente decorada (século XVI, se não estou em erro), com frescos, espelhos nas paredes e tudo decorado à época. Percebi que a minha praia é a da pintura. Escultura não me diz nada, cerâmica pior ainda, joalharia idem (se bem que a Custódia de Belém vale bem os cinco minutos que demorei a olhar para ela. O que eu gosto mesmo de ver, o mundo onde me perco é o da pintura. E aí sou capaz de passar minutos sem fim a olhar para um detalhe qualquer num quadro...

Foi uma manhã deliciosa e mais um ano ou dois e levo a minha miúda para a começar a despertar para estas coisas da História...

3 comentários:

  1. Olá! Se gostas de pintura, podias inscrever-te no Curso de Pintura a óleo que existe na associação onde trabalho!

    É às quartas-feiras das 18h às 21h!

    A associação é na Amadora, em S. Brás! Eheh

    ResponderEliminar
  2. Já lá fui e realmente o museu não está no seu pleno potencial...

    ResponderEliminar
  3. Já lá estive algumas vezes, é um dos museus que mais gosto!!!!

    ResponderEliminar

Obrigada!