-->

Páginas

26 fevereiro 2010

O que eu gostava...

... era de ter uns olhos verdes iguais aos da minha filha e de ter o bom acordar dela. De resto partilhamos o bom humor, a veia gozona, o ar rebelde, o ser do contra, a independência, o despachanço, a paixão pelos livros e, sem merdas, a inteligência. Também gostava de ter a altura que aposto que ela vai ter mas compenso-a com saltos mais ou menos altos (hoje, porém, estou rasteirinha, como convém a dias que se adivinham longos). E gostava de ter o sentido musical que ela tem, canta e dança, memoriza tudo, inventa, canta e dança ainda mais. Não tem é jeitinho nenhum para coisas que envolvam movimentos ginasticados - mais uma coisa que partilhamos, que eu só atinei com o desporto aos 18 anos e foi porque estava gorda!

Mas do que eu gostava mesmo era de saber que ela vai ser sempre feliz e que eu vou poder sempre secar-lhe as lágrimas nas tristezas e beber garrafas de champanhe com ela nas comemorações e que vamos ter anos e anos de vida juntas, mãe e filha, amigas, companheiras, anos e anos a fio. E tenho tanto medo que isto não aconteça...

1 comentário:

  1. E há-de acontecer e irão continuar a ser companheiras extraordinárias a partilhar todos os momentos bons (e os menos bons também) da vida!

    ... porque não há nada como a nossa mãe! Sobretudo quando ela é assim extraordinária!

    Tudo de bom querida!

    E obrigada por estares aí...

    ResponderEliminar