-->

Páginas

23 fevereiro 2010

Um pequeno pedido...

Mães e pais deste país, por favor fujam do síndrome dos "inhos". É comum (tão comum... demasiado comum) uma pessoa sofrer uma qualquer alteração química no exacto momento em que sabe que vai ser mãe/pai e passar a usar "inhos" a torto e a direito, até à exaustão, até ao sufoco dos interlocutores. Por favor, parem. A sério, não é necessário. Não atesta a vossa boa (nem a má, já agora) parentalidade e serve só para irritar quem vos ouve. Era isto.

[Também podia falar sobre a mania que os pais têm de falar "bebês" com os filhos, usando termos como "pópó, mémé, papinha e por aí adiante, para depois dali a três anos andarem numa sangria desatada para pôr os filhos a falar bem. Se não lhes tivesses ensinado uma língua que não existe logo à partida, não tinham depois o trabalho de lhes ensinar a oficial. E falar português e bebês não faz de ninguém bilingue.]

4 comentários:

  1. A mim dão-me vomitos os "inhos" e a utilização do "você" entre pais e filhos!

    O "bebês" faço tudo para evitá-lo, embora de vez em quando lá me saia um "popó" ou um "papinha" sem querer, muitas vezes influenciada pelos próprios pais da criatura, que teimam em ensinar este pseudo "dialecto" aos filhos:/

    ResponderEliminar
  2. Sempre achei que se devia falar correctamente com as crianças, senão depois elas nunca mais aprendem a falar bem.

    ResponderEliminar
  3. O "você" é que me irrita imenso. Os "inhos" para lá caminham mas caramba o "você" é péssimo.

    ResponderEliminar
  4. ok, registado! :)

    Confesso que no ínicio me saiam uns "inhos" mesmo sem eu dar conta (mas sem exageros, LOL!), agora já me passou essa fase (esperemos que não volte!). :P

    ResponderEliminar

Obrigada!