-->

Páginas

18 março 2010

Marianne, a lesma

Catorze dias depois, fui tirar os pontos. A senhora dona enfermeira fartou-se de chamar pela Luísa e eu nada, que não me chamo Luísa. Às tantas lá perguntei se aquilo não seria XPTO, o meu nome dito como deve ser. Adivinhem... era. Lá entrei. Primeiro ponto e eu já a transpirar por todo o lado. Deixa-se este para o fim. Entrou, vai ter que sair. Segundo ponto, dor. Terceiro ponto, sai sem ser preciso puxar, quarto ponto, dor. Primeiro ponto novamente, muita dor. Deu luta mas perdeu. E no fim o meu primeiro pensamento foi "vou vomitar". E procurei um caixote do lixo para isso mas... o meu rico Dojo-Kun mais uma vez safou-me (há quem conte ao contrário de vinte até zero, para se acalmar; eu digo umas coisas em japonês. Há malucos para tudo). Fim. E andar? Uma merda. Coxa, a tentar não dobrar o joelho. Uma lesma, portanto. Porque o primeiro-que-afinal-foi-o-último ponto abriu. Bonito serviço. Fiquei com uma marca gigante, não do corte, mas dos pontos. Que sa f***. Faz parte. E eu gosto das minhas imperfeições (quase) todas (sim, que a celulite bem que podia ir com o caraças... cof cof cof... ná, esta que vos escreve é total e absolutamente desprovida de tal massa - de celulite, I mean).

2 comentários:

Obrigada!