-->

Páginas

06 abril 2010

(Mais dos) Livros

... mais uma facadinha na minha promessa de não comprar livros este ano. Chama-se "O Islão Explicado". Ah e tal, deves ter a mania. Pois tenho. Tenho a mania de que há umas quantas coisas que eu quero saber antes de morrer. E perceber o Islão (e o Judaísmo, vá) é uma delas. Ao "O Caminho para Avignon" (coisa de inspiração católica até aos ossinhos - ainda que romanceada) seguir-se-á um não-romance (um ensaio, pronto) sobre o Islão. Com direito a glossário, bibliografia e a uma lista de datas importantes para a cultura.

(E não, não dou para o peditório de que os muçulmanos são todos terroristas e fundamentalistas e de que as mulheres, coitadinhas, são umas mártires. Há de tudo, como em todo o lado).

5 comentários:

  1. Nada como abrir horizontes e procurar conhecer realidades diferentes da nossa.

    ResponderEliminar
  2. Fazes muito bem. As pessoas, para poderem falar sobre certos temas, devem conhecê-los melhor...

    ResponderEliminar
  3. O judaísmo baseia-se no Antigo Testamento. A Tora é o A.T., ou seja, a Bíblia até Jesus entrar em campo. Não tem nada que entender.
    Agora se queres entender os costumes "bizarros" dos judeus ortodoxos, observar o shabbat, a comida kosher, fazer filhinhos através de um lençol com buraco, isso aí já é outra divisão.

    ResponderEliminar
  4. Rachelet, eu sei. Até aí já cheguei. E acho que o Judaísmo é um bocado mais complexo do que comida kosher e fazer filhos por um lençol com buraquinho. É por isso que quero aprender mais. E quem diz sobre o Judaísmo diz sobre 1500 assuntos diferentes. Isto exclui física quântica, testemunhas de jeová e meteorologia, por exemplo.

    ResponderEliminar
  5. Concordo contigo quando dizes que nem todos os muçulmanos sao terroristas, quanto a fundamentalistas a grande maioria sao sim. E digo isto porque passei algum tempo na Nigéria e na Arábia Saudita, e sei do que falo.
    No entanto é sempre bom conhecer a fundo estas culturas, que nao sao o bicho papao que o ocidente faz crer, sao simplesmente diferentes. E é na diversidade que está a riqueza:-)

    ResponderEliminar

Obrigada!