-->

Páginas

03 maio 2010

E agora o momento triste da semana

O meu Dia da Mãe, como mãe. Ontem senti que fui apenas filha. E passei o dia triste, triste, triste. Porque o pai da minha filha não gastou um minuto do tempo dele a preparar nada. Já lhe disse mais do que uma vez que me entristece não ter nada feito por ele e por ela, um postal daqueles caseiros, sabem? É simples: é pegar numa folha de papel, numa das muitas alturas em que estão a desenhar, pedir-lhe que desenhe uma coisa para a mãe, dobrar ao meio e entregar. Mas ele lá achou que tinha mais que fazer. E eu triste. Hei-de ter coisinhas feitas por ela quando ela for para a escola. Ou quando me sentar com ela a fazer uma surpresa para a mãe... que não será surpresa... Triste.