-->

Páginas

07 maio 2010

E agora uma coisinha séria...

... que este blog não é só "shit"-chat.

Esta coisa do Papa vir a Portugal e a maltinha do Estado ter tolerância de ponto.

Pelo que sei, o Estado Português é laico. Laico, tanto quanto me é dado a saber, reza (passe a ironia) assim:

laico
(latim laicus, -a, -um)
adj.
adj.
1. Que não pertence ao clero. = leigo
2. Que não sofre influência ou controlo por parte da igreja (ex.: estado laico).
adj. s. m.
adj. s. m.
3. Que ou quem não fez votos religiosos. = seculareclesiástico, religioso

Ora, se o Estado é laico, porque é que há tolerância de ponto para os funcionários públicos que queiram ir ver o Papa? Já agora, que tal umas tolerâncias de ponto daqui a um mês, quando quisermos todos ver os jogos do mundial que são às 14h, não? Ou umas tolerâncias de ponto para quem quer ir ao Rock In rio, que já se sabe que convém chegar lá cedo. Ou para quem queira ir, sei lá, à depilação. Eu cá acho que qualquer coisa devia servir para se arranjar uma tolerância de ponto. A mim, por exemplo, mesmo não sendo funcionária pública, dava-me um jeitaço uma tolerância de ponto agorinha mesmo, que quero ir fazer um jantar 5 estrelas para o marido. Um sushi que, para quem não sabe e nunca experimentou fazer, é coisa para demorar aí uma hora a fazer. Também me dava jeito uma tolerância de ponto para poder chegar a casa, enfiar-me na banheira com água a ferver e ficar ali, de molho, umas duas horas... Isso é que era... agora cá tolerâncias de ponto para ir ver o Papa...

Adenda: sim, sou católica. Acredito na teoria. Mas o que se vê na prática anda muuuuuito longe da teoria...

8 comentários:

  1. É uma parvoíce...
    mas pronto... os funcionaram agradecem. especialmente os que não vão ver o papa

    ResponderEliminar
  2. Eu decidi nem falar do assunto lá para os meus lados para não ferir susceptibilidades...
    O nosso E(e)stado vai de mal a pior!

    ResponderEliminar
  3. Concordo plenamente contigo. Eu sou funcionária pública, mas concordo.
    A tolerância de ponto não me afecta porque trabalho por turnos e, para mim, não há sábados, nem domingos, nem feriados, nem tolerâncias, trabalho quando tem que ser. (E sim, vou trabalhar no dia 11. E não, não vou trabalhar no dia 13, porque estou de folga.)
    Não deveria haver tolerância de ponto, pois os funcionários privados (e os públicos a quem a tolerância não afecta, como eu e muitos outros, médicos, enfermeiros, etc.) também deveriam poder ir ver o Papa, se quisessem, sem terem que gastar um dia de férias para tal.
    E já que estamos numa de que todos somos iguais, também acho que não é justo que só os funcionários públicos (e os reformados) sejam obrigados a abdicar do seu subsídio de férias ou de natal, para fazer face à crise, pois são trabalhadores (ou já foram) que pagam os seus impostos como toda a gente.
    Acho que os direitos e privilégios devem ser de todos os cidadãos, tal como os deveres.

    ResponderEliminar
  4. Pois... o problema é que, na maioria das empresas privadas, o dinheiro não reverte a favor do bem comum, mas sim a favor dos bolsos dos patrões. Se o meu subsídio de natal e de férias ajudar a manter postos de trabalho, maravilha, aceito abdicar deles na hora. Agora isto do Papa acho uma valente palhaçada.

    ResponderEliminar
  5. :))
    é isso ou então terminar com todos os feriados religiosos!! e são quase todos e ninguem sabe o que significam?!

    kiss kiss

    ResponderEliminar
  6. Estes assuntos são sempre muito controversos, toda a gente tem a sua opinião e, (in)felizmente, todas as opiniões têm que ser respeitadas.
    Eu também acho esta cena toda uma grande palhaçada! Além da história da tolerância, temos que pensar nos milhares, se não forem milhões, de euros que se vão gastar na visita de "Sua Santidade". Euros esses que o Estado não tem! E isso, não é uma palhaçada, é um escândalo!
    Eu também abdicaria de boa vontade do meu subsídio de férias ou de natal, ou dos dois, para garantir postos de trabalho! Mas os meus subsídios não vão servir para garantir postos de trabalho, vão servir para os nossos governantes poderem continuar a organizar tretas, como esta da visita do Papa, que só servem para inglês ver!

    ResponderEliminar
  7. ó pá, não me estragues o esquema! eu vou ter tolerância e aproveitei pr marcar vez na cabeleireira e para fazer compras. (sim, concordo contigo)

    ResponderEliminar
  8. Também concordo, é de facto um circo, e um gasto de dinheiro enorme. Futebol e Fátima.
    Quanto ao subsidio de ferias e de natal, nao o dou a ninguem, porque nao o recebo. Recibos verdes, sabem como é...

    ResponderEliminar

Obrigada!