Para a mãe

maio 02, 2010

Há poucos dias apercebi-me. Só aprendi a dar valor à minha mãe depois de ser eu própria mãe. Só aí soube as dores, as angústias, as escolhas, as decisões. Só aí compreendi que a liberdade que me deram não foi de graça e que as responsabilidades que me exigiram não foram em vão. Havia um plano por detrás daquilo tudo. Não foi fácil. Não é fácil educar uma miúda com a mania que é rebelde, mesmo que isso não passe de mania porque, verdade seja dita, nunca dei chatices aos meus pais. Acontece que eles continuam a educar-me. E ensinam-me todos os dias a educar. E eu bebo cada gotinha daquilo porque sei que, infelizmente, não durarão para sempre e que haverá alturas em que eu olharei para cima e dizer "que jeito que me dava aqui agora a minha mãe, ela havia de saber resolver isto".

A minha mãe teve (tem) falhas. Mas tem um mérito do caraças. Veio do Alentejo já casada, com a 4ª classe. Ficou (ficaram) a viver em casa dos meus avós paternos até poderem levantar voo e aterrar em ninho próprio. Pelo meio nasci eu. E a minha mãe resolveu começar a estudar. E a trabalhar. Foi costureira, trabalhou em fábricas, acabou a trabalhar numa pequena indústria que a atirou para o desemprego há coisa de ano e meio (coisa que eu, apesar de tudo, agradeço, porque foi o que permitiu que ela fique todos os dias com a minha filha). Pelo meio estudou, sempre à noite. Acabou o 12º ano no ano em que eu acabei o 7º. E trabalhava. Levantava-se às 6h, ia para a fábrica, voltava directamente para a escola, ia para casa, passava a ferro, fazia o jantar para mim e para o meu pai, para o dia a seguir e, lá pelas 2 ou 3 da manhã, ia dormir. Para acordar às 6h e fazer tudo outra vez.

E, apesar deste ritmo maluco, nunca desistiu. Queria conseguir um emprego normal, qualquer coisa no Estado, por exemplo. Nunca conseguiu. Mas não se arrepende de nada. E a mim nunca me faltou mãe. Ela esteve sempre lá. Mesmo quando me exportava por períodos de 5 meses para o Alentejo, para poder estudar, esteve sempre lá. Hoje continua a estar sempre lá. Claro que nos demos mal toda a vida. Porque eu era parva o suficiente para achar que devia poder fazer tudo sem fazer nada em troca. Quando isso acabou - quando fui viver sozinha. E passámos a gostar muito mais de estar juntas. Passei a dar muito mais valor àquela mulher que se virou do avesso para me poder dar tudo o que não teve, tudo o que achava que eu merecia.

Mas só percebi o quanto a amo na noite em que nasceu a minha filha. Foi a minha mãe que esteve lá, ao meu lado, a abanar-me uma arrastadeira descartável à frente da cara, tal o calor que eu sentia. Foi a minha mãe que chorou assim que viu a menina. Foi a minha mãe que me ensinou a ser mãe. Não quero repetir os erros dela, mas tomara eu não fazer outros que comigo ela não fez. A minha mãe fez-me a mim e constrói diariamente a minha filha. E constrói-me a mim, enquanto mãe.

É a mulher que eu mais amo na vida. E só quero ter muito, muito tempo com ela. Para aprender. Para amar. Para dar. E para lhe dizer o quanto gosto dela, o quão importante ela é para mim e o quão agradecida lhe estou por tudo o que faz por mim. Por nós.

Feliz dia, Mãe!

You Might Also Like

7 comentários

  1. A minha mãe também me diz sempre "quando tiveres os teus filhos vais perceber... e vais agradecer-me".

    Beijinhos e feliz dia da mãe :)

    ResponderEliminar
  2. Ainda nao me decidi a fazer um post sobre a minha mãe, mas ao ler o teu senti-me como se tivesse sido eu a escrever algumas passagens! ;)

    ResponderEliminar
  3. Fiquei comovida. Excelente texto.
    Feliz dia da mãe*

    ResponderEliminar
  4. Revi a minha mãe e a minha relação com ela em algumas coisas e também me fizeste ficar com um nó na garganta.
    Temos de respeitá-las e amá-las sempre, pois só quando somos mães é que as valorizamos.
    Gosto imenso do texto:)!
    E já agora feliz dia da mãe para ti, também!

    ResponderEliminar
  5. Esta história de me emocionar logo pela manhã, não dá com nada! :)
    Muito bom.

    ResponderEliminar
  6. Acho que acontece isso com todas nós. Faço minhas as tuas palavras.

    ResponderEliminar

Obrigada!

GoodReads Challenge

2020 Reading Challenge

2020 Reading Challenge
Lénia has read 29 books toward their goal of 40 books.
hide

Instagram

Parceria

Subscribe