-->

Páginas

31 agosto 2010

Uma cena que faria a minha avó rir às gargalhadas*

Ontem à tarde. Jovem senhora estaciona o carro, sai do carro, pega em dois sacos de compras e começa a subir uma escadas que a separam do seu destino. A meio das escadas tropeça nas calças (compridas, largas e potencialmente armadilhadas) e estatela-se pela escada acima. Joelho no chão, mãos no chão e um barulho, vindo de um dos sacos, de vidro a bater no cimento do degrau. Endireita-se rapidamente, verifica se está inteira e se o tal vidro está inteiro e segue caminho.

Sim, fui eu. E o vidro era uma garrafa de vinho que, miraculosamente, saiu ilesa do desastre. O mesmo não posso dizer do meu joelho direito, que teve direito a esfoladela.

Hoje, a explicar à querida da minha filha como é que tinha arranjado aquilo, disse que tinha caído naquela escada.

- Pois, mãe, mas tens que ter cuidado, tens que ver onde pões os pés. Ontem não tiveste cuidado e caíste. Tens que ter muito cuidado para não fazeres dói-dói. Já aprendeste?

I beg your pardon???!!! Dois anos e meio e já é isto... Estou tão lixadinha...

* A minha avó é uma descontrolada perante cenas de pessoas a cair. Ri-se até perder o fôlego. Uma vez caiu ela própria a atravessar a linha de comboio lá da terra, a caminho da horta (passa um comboio por dia). Não estava ninguém a ver e ela não se conseguia levantar de tanto se rir sozinha... Uma querida, também!

4 comentários:

  1. eehhehehe....como eu compreendo a tua avó...quase morro a rir com quedas, incluindo as minhas! É mais forte que eu! ;)

    ResponderEliminar
  2. E pronto está tudo explicado. Pelo menos a garrafa não se partiu ;)
    A tua miuda é o máximo. Digo-te já que estás lixada do mais que pode haver...falo por experiência!
    beijitos**

    ResponderEliminar
  3. Espero que estejas bem, assim como o bebe. Jokas

    ResponderEliminar

Obrigada!