-->

Páginas

27 setembro 2010

Ainda o Circo Casa Pia

Sábado calhei a parar um zapping na TVI24, onde o Goucha entrevistava o Carlos Cruz.

Momentos altos: o Carlos Cruz a debitar sobre credibilidade, que os juízes consideraram os jovens credíveis e que isso não queria dizer que eles estivessem a dizer a verdade. E vai o Goucha... "mas tu também és uma personalidade credível, pode dizer-se o mesmo de ti: lá por seres credível não quer dizer que estivesses a dizer a verdade...".

Outro: Carlos Cruz a afirmar veementemente que não é homossexual, que nunca se envolveu com menores, nem do sexo masculino nem do sexo feminino, que é heterossexual. E vai o Goucha (picado)... "mas a homossexualidade não tem nada a ver com pedofilia! Nem todos os homossexuais são pedófilos e a maioria dos pedófilos não são homossexuais".

Adenda: a dada altura a conversa encaminhou-se para os 16 telemóveis que o Carlos Cruz terá alegadamente utilizado para as comunicações com o Jorge Ritto e o Carlos Silvino. Confesso que fiquei pasma, em modo burro meets palácio, a tentar perceber a explicação para esse simples facto dada pelo Carlos Cruz. Segundo ele, quando os telemóveis avariam e vão para arranjar podem vir com um "corpo" (a máquina, vá) novo. E que isso faz com que o mesmo telemóvel acabe por ter vários IMEIs (o número que identifica cada "máquina"). Coincidência das coincidências: o enteado dele chegou a ter coisas que tinham estado num telemóvel do Carlos Cruz, porque comprou um telemóvel novo que, aparentemente, tinha a "máquina" de um dos tais telemóveis do Carlos Cruz que foram para arranjar. Ou seja: probabilidades esticadinhas ao máximo: o telemóvel do Carlos Cruz vai a arranjar, trocam-lhe a máquina, põem essa máquina num telemóvel novo que é depois comprado precisamente pelo enteado do Carlos Cruz. Perceberam? Pois...

9 comentários:

  1. Por acaso também vi essa entrevista e, como tu, considero essas as passagens mais marcantes.

    Até confesso que gostei de ver o Goucha num registo mais sério. À parte dos tiques e trejeitos, fez boas perguntas e uma boa condução da entrevista.

    Mas, lá está, não era em directo. Ehehe

    ResponderEliminar
  2. Clap clap clap para o Goucha !!!
    O Carlos Cruz nao me convence.

    ResponderEliminar
  3. Menino, também achei que, pela primeira vez, o Carlos Cruz estava perante alguém verdadeiramente isento e que não estava a fazer as perguntas às quais ele queria responder. Pôs o dedo na ferida uma série de vezes e só por isso valeu a pena ver.

    ResponderEliminar
  4. Também me deparei com essa entrevista.

    ResponderEliminar
  5. Por acaso também vi. Gostei do profissionalismo do Goucha.

    ResponderEliminar
  6. O Carlos Cruz vai a tudo o q é sítio falar, já deu imensas entrevistas desde que foi condenado. Na minha opinião, só faz é mal. Recorria as vezes q lhe apetece-se, mas calava-se. Quanto mais fala, mais se enterra.

    ResponderEliminar

Obrigada!