-->

Páginas

29 setembro 2010

Desenrasque

Hoje de manhã tropecei com a chávena do café na mão, já no trabalho. Metade do café entornado em cima da camisola.

Hora de almoço: chego ao carro e lembro-me de que tenho na bagageira duas túnicas recém-passadas a ferro por mamãe. Toca de abrir o carro, ir buscar a túnica, despir a camisola (tinha outra por baixo, tá?), vestir a túnica e seguir viagem, já sem memória da enorme nódoa de café na camisola.


4 comentários:

  1. Isso é que foi sorte, Marianne. A única vez em que me aconteceu algo do género, fiquei o dia inteiro a parecer uma badalhoca e como o universo sabe o que faz, quando quer castigar-me, nesse dia não só estava sem chaves de casa, como o cartão de MB tinha ficado esquecido num bolso de um casaco.

    Vá, mas o que eu quero mesmo saber, e juro que é preocupação genuína, é se o teu marido está melhor. Arrepiei-me com o desfecho do presente envenenado.

    ResponderEliminar
  2. Isso é tão bom! Tenho de começar a andar com roupa no carro (se bem que não entorno nada por mim abaixo há imenso tempo, mas nunca se sabe)..
    ;)

    ResponderEliminar
  3. É uma boa ideia nadar com uma peça suplente no carro apesar de não ter sido intencional! Uma coisinha que veio mesmo a calhar!

    ResponderEliminar

Obrigada!