-->

Páginas

14 setembro 2010

Estou chocada

Então o nosso Estado, entidade honesta e seriamente preocupada em arranjar medidas que façam face à crise, resolve que uma boa medida a implementar é aumentar o valor dos apoios aos estudantes carenciados. Falamos de estudantes do 2º ciclo, do 7º ao 9º ano. Os estudantes que pertencem ao escalão 1 (os mais carenciados) recebiam, no ano passado, €135 para aplicar em livros. Este ano esse valor foi aumentado. Passou para €135,50. Ou seja... cinquenta cêntimos de aumento. Menos do que custa um café na maioria dos sítios. O aumento para os estudantes do escalão 2 (que são mais ricos - e atenção que eu disse "mais ricos" e não "menos pobres", porque parece ser esse o conceito que o Estado tem - que os do 1º escalão) é de € 0,30. Trinta cêntimos para aplicar em livros que, aposto, aumentaram bem mais que trinta cêntimos este ano (graças a outra medida genial que foi o aumento do IVA).

Surreal...


13 comentários:

  1. What? E o governo ainda fala disso? Nem se pode chamar aumento, mas sim mais uma esmola...bj!

    ResponderEliminar
  2. É caso para dizer que pareces um ovo! Ou uma gripe! :P

    ResponderEliminar
  3. Lol, Menino... Pareço um ovo, sim. Mas um ovo Kinder (com surpresa incorporada!).

    ResponderEliminar
  4. Ouvi a notícia de manhã na rádio enquanto conduzia.... juro que pensei que tinha percebido mal o valor! Afinal é mesmo isso! Ridículo e ofensivo!

    ResponderEliminar
  5. Acabei de ouvir na rádio. Tal como a Anna acho absolutamente ridículo e ofensivo!

    ResponderEliminar
  6. Se em vez de darem um subsidio dessem os próprios livros seria tudo mais justo para todos.

    ResponderEliminar
  7. Só para teres uma noção, e digo isto sem pejo, o orçamento lá de casa é de 1400€ mensais (e pago uma renda de casa que, felizmente, não chega a 200€), pago 136€ de colégio pela Diana, e 108€ do ATL do Gabriel. Mesmo assim, este ano mudámos para o 3º escalão da SS. Ou seja, não temos direito a ajudas nenhumas. Fixe, não é?
    Para teres direito tens de passar fome e ser muito miserável. Só assim.

    ResponderEliminar
  8. Acho que o Estado anda um bocadinho a leste do que é a realidade das famílias. Eles olham para os teus números e o que vêm é que te sobram cerca de 900 euros para comer, vestir, deslocar, pagar contas e eventualmente beberes, vá, um café fora uma vez por mês. E acham que esses 900 euros também chegam para material escolar e tuditudo. O que é facto é que, se alguém de lá (do Governo) tivesse que viver com 1400 euros/mês (para 4 pessoas) o mais provável era que se atirasse da ponte!

    ResponderEliminar
  9. Marianne, olha que 1400€ é muito. Há quem (sobre)viva com muito, mas mesmo muito menos!

    ResponderEliminar
  10. Realmente há coisas que são absolutamente ridículas no nosso país, e este é um bom exemplo disso. Já para não falar que este governo teima em não adoptar medidas tão simples, como as que se usam noutros países europeus, como por exemplo o empréstimo dos livros, que são devolvidos no final do ano lectivo. Além de se ajudar o meio ambiente, ajudava muito no que diz respeito às carteiras dos cidadãos. Ah pois é, esqueço-me sempre dessa parte, o que realmente interessa são os interesses que estão por trás, os interesses daquelas pessoas "os cães grandes", que de certeza absoluta não sabem da existência das moedas abaixo de 2 euros...

    ResponderEliminar

Obrigada!