-->

Páginas

22 outubro 2010

Encarar

Hoje, numa conversa circunstancial, atiraram-me um

O teu ex-namorado trocou-te pela Ana, não foi?

Eu parei e pensei no que dizer. Não, não trocou. Acabámos e passado um tempo eles começaram a namorar. Ou. Sim, foi isso. Optei pela verdade: sim, foi isso. Fui trocada pela Ana. E na altura andava com os olhos a saltarem-me das órbitas de tanto chorar. Desgraçadinha da vida, sem saber o que fazer nem como respirar dali em diante. Depois, como tudo, passou. Passou a angústia, a saudade, a raiva, o desespero. Regressaram as amizades, com ele e com ela (de quem eu era amiga antes de ter o que quer que fosse com ele). No processo de andar a carpir as mágoas asneirei e tratei mal a Ana. No processo de recuperação cheguei-me à frente e fiz o que fazem as pessoas crescidas: fui falar com ela e pedi-lhe desculpa pelas minhas atitudes. Felizmente a Ana é uma miúda em condições e andou para a frente. Andámos.

Mas hoje, quando me perguntaram aquilo, deparei-me com um "responder e ficar por cima" ou "responder e assumir as coisas como elas são". Quantas de nós assumem que foram deixadas, trocadas, traídas, enganadas, substituídas? Quantas de nós o assumem sem que vejam nisso um arrombo na auto-estima, uma facada no peito, uma ferida para sempre? E o que será melhor, tapar o sol com a peneira, dizer algo mais para nos convencermos a nós do que aos outros, ou dizer a verdade, crua, gelada, e assumir que, naquela situação, fomos o elo mais fraco, adeus?

Hoje aprendi, naqueles milésimos de segundo em que ponderei a resposta, que mais vale enfrentar, encarar as coisas como elas são. Portanto sim, o meu ex-namorado trocou-me pela Ana. E fez ele bem, que nós não estávamos meant to be e a Ana é uma mulher do caraças.


16 comentários:

  1. E tu tambem es um arapariga a maneira :)
    Quem te fez essa perguntinha podia ter ficado calinho/a, nao? Nao me parece muito simpatico.

    ResponderEliminar
  2. Não seriam meant to be, mas tu, tu é que és uma mulher do caraças!

    ResponderEliminar
  3. Nada, nada, absolutamente nada contra quem me fez a pergunta. Foi num contexto. Para escrever isto tive que tirar a pergunta do contexto, porque o resto não interessava.

    Mas quem me conhece sabe que não precisa de ser simpático, nem politicamente correcto comigo...

    ResponderEliminar
  4. A Ana pode ser muita coisa, mas tu aqui demonstras-te que quem é uma mulher do caraças és sem dúvida tu!

    Parabéns a ti! :)

    ResponderEliminar
  5. É um exercício e pêras para um momento de ponderação. Não é fácil.
    Tiro-te o chapéu.

    ResponderEliminar
  6. A isto eu chamo sabedoria...é o que a vida e experiência nos traz...se estivermos disponíveis para tal...e nem sempre é fácil...mas é com certeza o melhor caminho!:)

    ResponderEliminar
  7. Pois eu gosto muito mais de ti...

    E por isso é que gosto tanto de vir aqui... sinto que aprendo sempre um pouco contigo (neste caso, muito) Obrigada por isso.

    ResponderEliminar
  8. Infelizmente a maior parte das pessoas não podem dizer que já passaram por um momento destes, em que foram trocadas e deixaram de estar em primeiro plano na vida de quem pensavam ser tão especiais. Muitas vezes já se tinham dado conta dos sinais, outras nem tanto... Infelizmente é assim.

    Mas tenho, sem dúvida, de te dar os parabéns! Porque demonstraste uma capacidade enorme que eu acho que não teria, não sei. Parabéns, realmente tu é que és a grande mulher desta história :)

    ResponderEliminar
  9. E fizeste tu muito bem. Penso que é dificil admitir uma verdade nua e crua dessas como tu dizes mas também é libertador porque quem admite com muitos tomates que foi deixada, é orque também não se importa muito com isso por isso... parabéns! Se a Ana é uma grande mulher, tu deves ser outra.

    ResponderEliminar
  10. Não é fácil assumir tudo o que acabaste de dizer aqui, mas por outro lado isso significa apenas uma coisa,que não guardas rancor e que ele já não mexe contigo. Tens tudo resolvidinho aí dentro. É assim que se anda para a frente.

    ResponderEliminar
  11. Claro que não mexe comigo... isto aconteceu há tanto tempo!!!!! Ficou tudo resolvido, arrumado no devido sítio. Ficaram as recordações e o que aprendi com e por causa dele.

    ResponderEliminar
  12. Ouch! Deve ser das coisas que mais deve doer. Admiro-te pela coragem de enfrentares a resposta, não é para toda a gente.

    ResponderEliminar
  13. Que grande post.

    PS: Quem fez essa pergunta, é parvo ou quê?

    ResponderEliminar
  14. Custa, mas vale mais dizer as coisas como elas são.
    *

    ResponderEliminar
  15. E tu também não ficas nada atrás e também és uma grande mulher, acredita. Conheço pessoas que passaram por situações idênticas e ainda hoje, muitos anos depois, continuam a ressabiar com a situação e a fazer a vida negra aos casalinhos...

    ResponderEliminar

Obrigada!