-->

Páginas

08 novembro 2010

Termostato

Uma das melhores coisas que a gravidez me trouxe (não esta, a da minha filha) foi a regulação permanente do meu termostato.

Antes da minha filha existir eu era a miss pijamas grossos até ao olhos, mas se sentia um piquinho de frio. Lençóis de flanela na cama, saco de água quente, pantufas de carneira, manta polar sempre onde eu estivesse, 3 camisolas vestidas, collants por baixo dos jeans... tudo a que tinha direito!

Depois, durante a gravidez dela, subitamente e sem razão aparente, passei a ser meia-estação o ano inteiro. Bem, not quite, que no verão continuo a acusar o calor. Mas os invernos deixaram de ser penosos, coisa que não julguei possível. E o melhor disto é que a coisa se manteve depois do nascimento dela. Sem eu perceber muito bem porquê, deixei de ter necessidade de andar assamarrada* de roupa. Mas gosto!


*Assamarrada (ou ensamarrada, tanto faz): atafulhada de roupa, apertada, sufocada.

4 comentários:

  1. Espero que me aconteça o mesmo quando engravidar, porque me enquadro perfeitamente na descrição do antes da gravidez.

    ResponderEliminar
  2. É curioso! O meu filhote só tem 19 meses e tenho andado a pensar no que acabaste de referir... Eu também era super friorenta e também me passou-me, acho que foi o meu filhote que também regulou o termostato.

    ResponderEliminar
  3. Que engraçado, aconteceu-me precisamente o mesmo. Ainda ontem comentei isso.

    Deve ser uma forma sábia da Natureza nos permitir proteger aquecer as nossas crias.

    ResponderEliminar

Obrigada!