-->

Páginas

22 dezembro 2010

Do Natal

Acabei de ver num blog qualquer uma mensagem com votos de feliz Natal em que a foto que o ilustrava era um carro pequeno com o tejadilho pejado de presentes gigantescos.

Isto para mim não é Natal. Não é nada, na verdade. Natal, para mim, é muito mais do que uma carrada absurda de presentes. É estar com a minha família. É ver a minha filha ansiosa pelo Jesus (cá em casa o Pai Natal é o tipo que faz os presentes que o Jesus manda fazer. Quem oferece, quem "recompensa" os bons comportamentos é o menino Jesus). É telefonar para a família que está ausente. É comer as azevias da minha mãe. É jogar Uno até às tantas (e agora também Buzz). É ter a lareira acesa e estar praticamente a grelhar lá dentro. É sentir umas saudades gigantes do meu avô Eusébio e da minha avó Primitiva. É celebrar também o aniversário da pessoa que conheço que mais se parece com Jesus. Calha em ser o meu melhor amigo, meu padrinho, meu afilhado e padrinho da minha filha.

É saber que, mesmo sem um tejadilho pejado de presentes gigantescos, somos felizes. Ou antes, é saber que é precisamente por não haver o tal tejadilho pejado de presentes gigantescos que somos felizes e que vivemos o Natal com o significado que ele tem. Este ano, pela primeira vez, não andei maluca enfiada em centros comerciais a comprar presentes para riscar nomes de uma lista avantajada. Fui uma vez comprar o presente do marido e outra comprar o da minha filha. Os outros presentes são feitos em casa. Com carinho, com dedicação. Tudo o que, na verdade, acho que não entra nos périplos desenfreados pelos centros comerciais, à procura de quantidade e não de significado. E isto agradeço ao Sócrates e à crise. Porque se não fossem eles eu também teria andado feita barata tonta a estoirar dinheiro. Assim, sempre aprendi qualquer coisa.


8 comentários:

  1. O meu Natal também é como o teu. E é por isso que o adoro tanto! :)

    Feliz Natal para ti e para os teus. Beijocas grandes!

    ResponderEliminar
  2. quando era pequena quem me trazia os presentes era também o jesus! é o que quero ensinar também aos meus filhos quando/se os tiver...:)
    agora a maioria das crianças nem sabe o verdadeiro significado do natal...

    feliz natal para ti e para os teus!!

    ResponderEliminar
  3. Pois não. Mas como cá em casa o Pai Natal é um boneco como o Ruca e o Noddy (ou seja, ela sabe que é um desenho e que não existe - apesar de já ter visto uns quantos vestidos de Pai Natal, para ela aquilo é como ir ao Festival do Panda: anda lá gente mascarada de bonecos e pronto), a coisa vai.

    Ela sabe a história do Natal, sabe que é o aniversário de Jesus, sabe que há a Maria, o José, o burro e a vaca. Vai no bom caminho, creio.

    ResponderEliminar
  4. Esse é que é o espírito do Natal!

    ResponderEliminar
  5. Como concordo contigo Marianne! Como concordo! Desculpa, vou dizer aqui uma palavra feia... mas "mete nojo" tanto consumismo!! Estou farta dessa vertende de Natal, que não é a verdadeira. Infelizmente, por causa da família do meu marido conheci essa vertente... mas, como vai contra os meus valores, vou tentar tomar uma atitude definitiva. Ano passado já tomei... mas ainda não cortaram totalmente... p´ro ano, não estou para isto e o corte vai ter que ser radical!

    Aproveito para te desejar um Santo Natal e para a tua família. Tudo de Bom! Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Dá-me muito prazer pensar e escolher os poucos presentes que dou. Escrevo muitos postais...
    Para mim o Natal é passar a tarde com calma com a minha mãe e a minha tia, dar-lhes atenção, levar-lhes o bolo rei, mostrar-lhes as fotografias das férias e depois fazer a minha consoada só com ele, numa mesa para dois preparada a preceito, cozinharmos juntos (para quem não vive junto tem outro sabor), enroscarmo-nos na manta a conversar e a espicaçarmo-nos mutuamente sobre as prendas até ser hora de as abrir.

    ResponderEliminar

Obrigada!