-->

Páginas

14 janeiro 2011

Nada de novo

ARGHHHHHHHHHHHHHH!!!!

Eu não me considero uma pessoa impaciente. Sou até daquelas pessoas que acha que cada coisa a seu tempo. Mais ou menos, pronto, que isto quando se é um elefante perde um bocado o sentido. E eu, quando estou em modo fartinha de estar grávida perco um bocado o discernimento e a calma e a paciência e deixo de alinhar pelo "tudo a seu tempo" e quero mais é que a coisa avance e que se faça luz.

Não gosto de surpresas, como já aqui disse. Não gosto de não saber com o que contar. Também não gosto de planear a minha vida com mais de uma semana de antecedência (e estou a melhorar, porque há uns anos 24h de antecedência era a longo prazo). Mas odeio, odeio, odeio não saber quando é que este miúdo vai resolver sair. Odeio sentir que não posso fazer nada para que aconteça (porque sou contra cesarianas marcadas para conveniência da mãe e sou contra induções de partos só porque sim). O que eu podia fazer já fiz: andar, subir escadas, lavar o chão de gatas. Acham que ele se incomodou com isso? Zero.

A médica diz que ele, a partir de 3ª que vem, já não está aqui a fazer nada. Eu espero sinceramente que não chegue a tanto. A minha filha foi tão mais fácil... Não precisei de fazer nada para ela resolver que já chegava. Uma despachada, como ainda hoje é. E isto mostra que, regra geral, as mulheres são mais proactivas e os homens mais deixa-andar...


1 comentário:

  1. Quando chega a esta fase já só queremos que chegue o momento e parece que o tempo não passa!! Eu também andei, subi e desci escadas, um dia fiz uma limpeza tal em casa que à noite não me mexia com dores nas costas e a miúda nada de nascer! E eu já não podia ouvir as pessoas a dizerem-me que tudo tem o seu tempo, que tem sabemos nós mas a vontade e a ansiedade são tão grandes que só queremos mesmo é o momento depressa! Beijinho

    ResponderEliminar

Obrigada!