-->

Páginas

10 janeiro 2011

Obsessões

Eu não sou uma mãe obcecada. Com nada. Não stresso com quedas, nem com doenças, nem com queixumes, nem com saídas da rotina. Encaro tudo com normalidade e o meu lema é "resolver o problema sem me transformar eu mesma num problema". Se a miúda cair e eu desatar num pranto, o mais provável é que não a consiga ajudar. O sangue frio é o meu melhor amigo nas alturas de crise. E se calhar por isso é que tive, em três anos e pouco de maternidade, pouquíssimas crises.

Claro que há medos, claro que há fantasmas a pairar, claro que há coisas que me atormentam. Mas as coisas têm a importância que nós lhes damos. E o meu truque é minimizar ao máximo as coisas negativas.

Também não sou daquelas mães que usam as filhas como meio para concretizar sonhos. Claro que tive sonhos de infância/adolescência que não cumpri. Mas isso não quer dizer que tenha que os cumprir através da minha filha. Ela será o que quiser ser, de manequim a electricista, passando por médica ou cantora pimba. Os meus sonhos não interferem nos dela, não quero que ela cresça para me realizar a mim. Eu tive o meu tempo, agora é o tempo dela.

É óbvio que, se fosse eu a escolher, fazia dela neurocirurgiã ou coisa que o valha. Mas não sou. E não sou dona dela, ela não é minha, é do mundo. Eu só a pus cá e tento educá-la da melhor maneira que sei e fazer dela a melhor pessoa possível. Até ver, acho que não me tenho saído mal (e, quando digo que a educo, não falo só de mim, mas de todas as pessoas que contribuem para a educação dela: o pai, os avós, os tios, etc.). Só quero é que ela seja feliz e que nunca duvide de que fizemos sempre o que achámos melhor para ela.


3 comentários:

  1. Concordo plenamente. Ainda não sou mãe mas penso o mesmo que tu: "ela não é minha, é do mundo" acho que muitos pais não tem essa noção e por causa disso arranjam-se muitos problemas familiares e frustrações pessoais. Para mim, ser mãe é "dar", não "ter".

    Beijo grande, com esse barrigão e continuas elegante rapariga!

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito :) Só pode ser uma criança feliz.

    ResponderEliminar

Obrigada!