-->

Páginas

02 julho 2011

Aobre o que eu escrevi sobre o Angélico

1. Não sou ninguém para julgar quem quer que seja.
2. Tenho opiniões, como toda a gente. Acontece que muitas vezes a minha opinião é exactamente oposta à opinião das massas.
3. Não me acho dona da verdade, nem imortal, nem superior a quem quer que seja.
4. Não me acho no direito de dar uma de falsa moralista.
5. Cometo erros na estrada (e em casa, e na rua, e na vida em geral. Como toda a gente, aliás).
6. O que disse em relação ao Angélico teria dito em relação a qualquer outra pessoa na mesma situação.
7. Não acho nem nunca disse que achava que ele (ou quem quer que fosse, na mesma situação) merecia morrer. Não disse que achava que ele merecia cada volta que o carro deu. Não disse porque não acho isso. Acho que, por muita merda que ele tenha feito naquela viagem, merecia viver, como toda a gente merece. Também não acho que merecesse viver por ser famoso, bonito e idolatrado. Acho que merecia viver tanto quanto quem ia com ele.
8. Não sei se a culpa do acidente foi dele ou não. Sei o que a comunicação social transmite. Opino com base nisso, apenas e só. Porque não estava lá e não vi. Nem eu, nem ninguém, aparentemente.
9. Acho que, ainda que o acidente se tenha dado por qualquer coisa alheia a ele, houve ali escolhas mal feitas (não necessariamente dele: o amigo dele que morreu ia sem cinto e podia tê-lo posto. A miúda que continua internada ia sem cinto e podia tê-lo posto.).
10. A confirmar-se a alta velocidade, acho que isso é capaz de ter ajudado ao desfecho.
11. Espero sinceramente que isto sirva de alerta para toda a gente. Todos sabemos que anda para aí muito selvagem a conduzir.
12. Acho que, na estrada, todos temos que ser responsáveis, não só por nós e por quem viaja connosco, mas também por quem se cruza connosco. E acho que se toda a gente visse a coisa por este prisma se calhar não aconteciam tantas desgraças.

13. Eu não sou melhor do que ninguém, nunca o disse, nem era disso que tratava o tal post. Quem me conhece sabe que, quanto mais sério o assunto, mais seca e menos meiga eu sou. Defeito meu, assumidíssimo. Sou mais de murros no estômago do que de palmadinhas nas costas. E é isto. A intenção não era melindrar ninguém, nem ofender ninguém nem nada do género. Era, simplesmente, abanar uma estrutura. Apenas e só.


6 comentários:

  1. Olha, eu concordo totalmente com o que escreveste neste post e no outro.

    ResponderEliminar
  2. Concordo plenamente ctg n podias ter escrito melhor :P
    beijoca

    ResponderEliminar
  3. Mas Marianne, não era preciso explicares, acho que estava tudo subentendido no outro texto. O problema - o qual eu tenho vindo a reparar de modo crescente - é que cada vez mais a blogosfera está pejada de gente muito sensível e que se melindra por tudo e por nada. Virgens ofendidas, é o que é. Não tenho paciência para essa gente.

    ResponderEliminar
  4. E eu assino por baixo do Dexter! Gentinha ...
    Não precisavas mesmo de explicar!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Ora mais uma que se junta ao grupo das que não se coíbe em dizer o que acha porque nos entretantos houve um velório.

    este país de brandos costumes que tanto vitimiza os irresponsáveis já não tem emenda...

    ResponderEliminar

Obrigada!