-->

Páginas

06 setembro 2011

Linha imaginária

Pessoas que andam na rua, que circulam pelos passeios, que caminham: POR FAVOR, quando forem na rua (seja em que situação for), olhem para a frente, rumo ao vosso destino, e tracem uma linha imaginária. Uma linha recta, que vos leve onde vocês querem ir. Depois andem por cima dessa linha imaginária. Não se desviem, não inventem. Limitem-se a caminhar sobre a tal linha recta imaginária, que marca o vosso percurso. Não andem aos esses, nem aos zês, nem aos cincos. Andem a direito. Isso evita que quem vá atrás de vocês (e, muitas vezes, com mais pressa do que vocês) tenha que estar a tentar adivinhar para que lado é que vocês se vão atirar a seguir, numa tentativa de a) não esbarrar convosco e b) ver se consegue chegar onde quer tão rápido quando possível. Ou seja, clarificando: pessoas que andam na rua, que circulam pelos passeios, que caminham: não empatem quem vem atrás de vocês, por favor. É que, no limite, o desgraçado que está a gramar com as vossas indecisões acerca do sítio onde vão assentar o pé a seguir está capaz de jurar que vocês estão a cair de bêbedos. Só isso justifica a forma idiota como andam, aos esses, aos zês, aos cincos.


3 comentários:

  1. :o)
    ahahahah
    Pior entao e' quando se cruzam e ficam ali segundos a empatar porque ambos decidem ir para o mesmo lado.

    Baci*

    ResponderEliminar
  2. É verdade, essas pessoas deviam era circular sempre pela direita, como se faz com os automóveis. Não sabem onde querem ir, querem andar devagar, encostem-se. Às vezes apetece-me abaná-las.

    ResponderEliminar
  3. Assino por baixo! De manhã, tenho sempre as mesmas chatices por causa de pessoas assim!

    ResponderEliminar

Obrigada!