-->

Páginas

01 dezembro 2011

Presentes de Natal

Há dois anos fiz, pela primeira vez, doce de abóbora para oferecer pelo Natal. Comprei uns frasquinhos todos bonitos no Ikea e enchi-os de doce e de carinho, para oferecer às pessoas de quem gosto. Aconteceram três coisas a estes presentes:

- Houve quem abrisse os frasquinhos e juntasse o doce a tostas ou pão, o saboreasse e percebesse que havia mesmo carinho ali dentro.

- Houve quem abrisse os frasquinhos e juntasse o doce a tostas ou a pão, o saboreasse e percebesse que havia mesmo carinho ali dentro. No final, depois de acabado o doce, devolveram-me os frascos vazios.

- Houve quem nem sequer abrisse os frascos e os tenha, ainda hoje, a ganhar pó numa qualquer prateleira lá de casa.

E perante isto, o seguinte: se eu me disponho a passar horas infindáveis a descascar abóboras é porque gosto das pessoas a quem vou dar estes presentes e lhes quero dar algo de mim. Agradeço, por isso que a) se não gostam de doce de abóbora, me informem, para eu fazer doce de outra coisa no ano seguinte; b) comam o doce no ano que sucede àquele dia 24 e que antecede o próximo, onde vos vou oferecer mais doce de abóbora (a não ser que sejam claros e me digam que preferem doce de outra coisa).

Se eu aguento filas no Ikea em época de Natal é porque gosto das pessoas a quem vou dar os presentes e quero oferecer uma coisa bonita. Se dou um presente, ele é TODO da pessoa que o recebe. Não dou meios presentes. Não dou conteúdos, à espera da devolução dos frascos. Lixa-me que me devolvam metade do presente que lhes dei. Mesmo.

Mas o que verdadeiramente me f*** é que nem sequer abram os frasquinhos e os deixem, sossegados, ano após ano. É que aquilo tende a passar de doce de abóbora a colónia de bolor e não é bom. O doce de abóbora é para comer. O frasco é para guardar. Simples, não?

16 comentários:

  1. Realmente há pessoas que não entendem o valor do verdadeiro presente feito com carinho, é por isso que eu ainda aqui ando a pensar se faço ou não (todos o anos é assim) porque já sei que também me vou irritar com algumas reacções e se calhar acaba por acontecer o mesmo de sempre, fico quietinha no meu canto!

    Beijinho

    ResponderEliminar
  2. A parte de haver pessoas que nem abriram o doce também me faz uma bocadinho de 'espécie', agora haver frascos devolvidos ao remetente até compreendo. Acho que significa: 'faz mais que gostei muito' :)
    Não desanimes por causa disso!

    Beijinhos*
    P.S. - No ano passado houve doce de maça e de pêra, este ano também vai ser de abóbora mesmo, haja tempo para o fazer, que vontade há muita!

    ResponderEliminar
  3. Também sinto isso... Custa perceber que as pessoas nem ligam assim muito ao que fazemos especialmente a pensar nelas. Já me aconteceu com uns frasquinhos de mel. Cá por casa gostamos muito e consumimos todo o ano. Encomendei o mel, enfeitei os frasquinhos e descobri depois que algumas pessoas não gostam ou nem ligaram, juntaram "pra lá" a mais outros objetos a ganhar pó! Cada vez mais me apetece oferecer lembranças feitas por mim. Mas penso sempre nisso...

    ResponderEliminar
  4. Este ano estou a pensar fazer o mesmo, já tenho a abóbora e tudo (enooorme!), mas tenho esperança que as pessoas recebam com tanto amor e carinho como aquele com que vou oferecer as prendinhas...

    ResponderEliminar
  5. Devolverem-me os frascos nunca aconteceu, mas ver na casa de duas pessoas a quem dei, também doce de abóbora, os frascos por abrir e lá dentro mais bolor do que doce, lá isso já vi...ainda lá estão :(.
    Se calhar a opção passa por dar-lhes os frascos vazios, assim com um embrulho bonito e tal, eheh.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. parece-me que há mt gente que ainda não aprecia o gesto de dar e dá mais valor se fôr algo caro...

    ResponderEliminar
  7. Adoro doce de abóbora. De entre compotas, geleias e doces é o meu favorito. E, se o frasco for bonito, é a melhor parte.

    ResponderEliminar
  8. Ahahah é incrível como as pessoas não sabem o que hão de fazer com os presentes mais simples. Também me vou iniciar no ritual do descascanço da abóbora. A ver vamos.

    ResponderEliminar
  9. Se eu recebesse o teu doce de abóbora acredita que nunca mais o vias! Gulosa como eu sou =p Eu tb costumo oferecer bolachinhas daquelas tipo húngaras ou de amêndoa no Natal, e ñ costumam durar até ao dia 26 sequer lol.

    ResponderEliminar
  10. oops ... e um cartão'zinho com instruções?! :) :)

    ResponderEliminar
  11. não leves a mal devolver os frasquinhos, normalmente significa "já aqui tens o frasquinho, quando fizeres podes dar-me mais", e é costume entre as fazedoras de doce. sendo pelo natal, é diferente, mas é realmente um costume para evitar que a pessoa tenha de estar sempre a arranjar mais frascos.

    beijinho

    ResponderEliminar
  12. Concordo com a Maria Gata. Quando ofereço compotas (e tenho esse hábito o ano todo), se as perguntam se quero o frasco de volta respondo sempre: "Se não te fizerem jeito depois de vazio, podes devolver". Normalmente, junto com esse, recebo mais frascos que as pessoas vão juntando.

    Agora, o que verdadeiramente me tira do sério, é precisamente o facto de colocarem as compotas em exposição. Este teu post fez-me perceber que, afinal, o problema não é só meu. Uma das pessoas a quem ofertei um cabaz de Natal em 2008 ainda tem os frascos intactos no armário da cozinha. Uma falta de consideração, na minha opinião (e uma certa falta de respeito).

    ResponderEliminar
  13. E quem recebe frasquinhos de compotas dos mais diversos sabores, anos seguidos,das mais diversas provenièncias, e nem sequer aprecia compota? É lógico que aceito o presente pois sei o trabalho e o carinho que foram dedicados à sua confecção, mas acabo por enviá-las para casa da minha Mãe senão estragar-se-iam.O importante de cada presente não é seu o valor mas o facto de serem pensados para cada pessoa e irem ao encontro do seu gosto.Just my opinion...Aprecio bastante o teu blog e a tua escrita, beijinhos

    ResponderEliminar
  14. E quem recebe frasquinhos de compotas dos mais diversos sabores, anos seguidos,das mais diversas provenièncias, e nem sequer aprecia compota? É lógico que aceito o presente pois sei o trabalho e o carinho que foram dedicados à sua confecção, mas acabo por enviá-las para casa da minha Mãe senão estragar-se-iam.O importante de cada presente não é seu o valor mas o facto de serem pensados para cada pessoa e irem ao encontro do seu gosto.Just my opinion...Aprecio bastante o teu blog e a tua escrita, beijinhos

    ResponderEliminar
  15. E quem recebe frasquinhos de compotas dos mais diversos sabores, anos seguidos,das mais diversas provenièncias, e nem sequer aprecia compota? É lógico que aceito o presente pois sei o trabalho e o carinho que foram dedicados à sua confecção, mas acabo por enviá-las para casa da minha Mãe senão estragar-se-iam.O importante de cada presente não é seu o valor mas o facto de serem pensados para cada pessoa e irem ao encontro do seu gosto.Just my opinion...Aprecio bastante o teu blog e a tua escrita, beijinhos

    ResponderEliminar

Obrigada!