-->

Páginas

13 dezembro 2011

Saber ouvir

Há alturas em que é apenas isso: ouvir. Saber escutar lamentos, gestos, ansiedades, hesitações. Saber ouvir para lá do que se diz. Saber entender para lá do que nos mostram. Saber sentir e confiar nos instintos e saber apenas observar e absorver informação. Não comentar, não alvitrar, não dizer absolutamente nada. Não tentar confortar um coração que não precisa de conforto, apenas de que o oiçam. Não debitar lugares-comuns que não acrescentam nada, por muito acertados que sejam. Saber ser apenas o ombro que acolhe, a mão que afaga o cabelo, o sorriso sincero. Saber que, ao escutarmos, damos ao outro o papel principal e, ao falarmos, ainda que sobre e para o outro, assumimos nós esse papel. E há alturas em que mais vale ser um digníssimo actor secundário do que um medíocre actor principal. E há tanta, tanta gente que não sabe ouvir... apenas ouvir...


("Se podes ver, olha. Se podes olhar, repara." - Livro dos Conselhos)

12 comentários:

  1. Não é fácil mas há momentos em que é tão importante esse apenas ouvir...

    ResponderEliminar
  2. Não é por acaso que temos 2 ouvidos e uma boca (ou será?)..Saber ouvir é, por vezes, tão importante como dar um bom conselho!
    Beijinho
    Joana

    ResponderEliminar
  3. Acredito que os amigos verdadeiros são possiveis de serem identificados por esta caracteristica... o saber ouvir é para mim um acto de humildade e de dádiva.

    ResponderEliminar
  4. às vezes gostava percebessem que se desabafo com alguém não estou à espera que essa pessoa me resolva o problema, ou encontre a solução atraves de raciocinios lógicos. Estou só à espera que me ouça.

    ResponderEliminar
  5. tão certo... tem dias que me cansam algumas pessoas, mesmo gostando delas.

    ResponderEliminar
  6. Às vezes devia seguir mais esse conselho, tapar mais vezes a boca e ouvir mais!
    [sinto-me muitas vezes tão egoísta! Não sei se começa a ser de mesmo de mim, ou se é mesmo só a falta de tempo!]

    Beijos*

    ResponderEliminar
  7. Obrigada do fundo do coração por este post. Gostava tanto que existissem mais pessoas a pensar assim...

    ResponderEliminar

Obrigada!