-->

Páginas

02 fevereiro 2012

Uma pessoa agarra-se com os pés ao chão, finca as unhas na parede, revolta o mundo à procura de uma solução. Que não existe. Depois luta e estrebucha e não quer acreditar nem aceita o que lhe acontece. Depois sacode o pó dos ombros, levanta o queixo, afasta as poeiras e segue caminho. Sempre em frente, cabeça erguida e a certeza de que o final será feliz. Lambem-se as feridas, arrumam-se as memórias e o mundo prossegue amanhã.

Há os conformados. E há os guerreiros. E mais além dos guerreiros há uma fina nata de gente que é difícil igualar. A Elite é nata. Os contratempos não dizem, acerca dela, nada que não seja isto: se há mulher com força, com capacidade de fazer e de acontecer e de ir sempre mais além, é ela. E ela, bem vistas as coisas, é só uma miúda de 24 anos. E tomara eu - e muita gente - ser, aos 34 ou aos 44, metade do que ela é agora.

Miúda, godspeed!

4 comentários:

  1. Subscrevo tudinho! A Elite é "grande" como muita gente nunca terá capacidade sequer de sonhar ser.

    ResponderEliminar
  2. Subscrevo inteiramente. É uma mulher cheia de garra.

    ResponderEliminar
  3. Tudo o que lhe quereria dizer. Ela é mesmo um portento.

    ResponderEliminar

Obrigada!