-->

Páginas

31 março 2012

Desafio da Anita - Dia 31 [Saudade]


Há pessoas que vivem para sempre.


 


O meu avô. A pessoa que marcou a minha infância. A pessoa que me ensinou mil coisas que ainda hoje lembro (a encher cartuchos, que ele depois levava para caçar, por exemplo). A pessoa cuja morte mais senti. A pessoa de quem tenho mais saudades.


 


O que é realmente bonito é que este avô criou três netos. Tem seis, mas só conviveu diariamente com três. Os outros três não sabem nem querem saber - e nem sonham aquilo que perderam...


Os três netos que o meu avô viu crescer todos os dias, até morrer, sentem a sua ausência da mesma forma. Choramos os três com saudades dele. Rimo-nos quando recordamos histórias da nossa infância, mas acabamos sempre em lágrimas. O meu avô Eusébio é eterno dentro de nós.


 


E agora também é eterno no braço da minha prima mais nova. Provavelmente a tatuagem mais bonita que já vi (e está igual, igual à fotografia, igual ao que ele era...). Um dia, quem sabe, desenharei exactamente a mesma fotografia do meu avô algures na minha pele.


 


Tantas saudades, avô, tantas...


 


[Escrevi este post a 5 de março de 2011. Coincidentemente, estou a agendar este post exatamente um ano depois... A saudade, essa, é a mesma. Ou maior...]

2 comentários:

  1. Li algures que uma pessoa é bonita até certa altura por causa da genética e a partir de certa altura por causa do que se é, de como se vive. As expressões que mais fazemos são as que nos ficam mais vincadas. Se o teu avô está igual ao que era, deve confirmar essa teoria, muito bonito.

    ResponderEliminar
  2. Sem dúvida que é uma homenagem muito bonita. Algumas pessoas a morte não consegue roubar de nós...

    ResponderEliminar

Obrigada!