-->

Páginas

26 junho 2012

Limoeiro (a vida que nos acontece) - post longo

A vida encarregou-se de me dar limões. Na verdade, deu-me um gigantesco pomar cheio de limoeiros carregados, com os ramos a dobrar para o chão, tal a quantidade de limões que ali há. Não é fácil. E não acontece só aos outros.


 


Já aqui contei dos violentíssimos enjoos que tenho tido. Também falei da perda de peso abrupta que tive: até agora, quase sete quilos à vida. Associei ao facto de andar a comer pouco, por causa dos enjoos. Mas não é só isso.


 


Sexta-feira passada fomos fazer a ecografia do primeiro trimestre. Ainda na sala de espera disse mais uma vez ao meu marido que acghava que aquilo não ia correr bem, tinha um feeling estranho. Ele, como bom macho que é, disse que aquilo eram coisas da minha cabeça. Já antes da eco eu tinha comentado com algumas amigas que sentia que havia alguma coisa errada com esta gravidez. Tal como comentei que achava que era uma menina. Não me enganei em nenhuma das sensações.


 


Assim que o médico me pôs a sonda na barriga disse que aquilo estava tudo errado, que aquilo não estava bom. Inocentemente, pensei que estivesse a falar do ecógrafo... Mostrou-me a minha placenta, que parece uma videira em Setembro, carregadinha de quistos que parecem uvas. Mostrou-me a bebé e disse que era inacreditável como é que esta bebé continua viva às 13 semanas. Fiquei sem chão. Não percebi...


 


Perguntou-me se eu tinha muitos enjoos, coisa que confirmei. Explicou-me que tem tudo a ver com a degenerescência grave que a placenta tem. Mostrou-me o coração da bebé, que tem um derrame pericárdico, coisa que é provável que faça o coração dela parar (e ele não percebeu como é que isso ainda não tinha acontecido). Mostrou-me a translucência da nuca, super aumentada na minha bebé. Explicou que isto poderá ter a ver com a cardiopatia, uma vez que ela não tem trissomia 21 (há osso nasal bem visível, por isso esta hipótese foi afastada).


 


Mandou-me para o hospital o mais rapidamente possível, para me fazerem mais exames e ser seguida lá. Disse-me, muito friamente (e ainda bem), que este bebé é pouco viável e que o mais certo é termos que interromper a gravidez. Saí dali a chorar. Fugi para um canto, por não querer assustar as outras grávidas que estavam à espera.


 


Fomos logo para o hospital, onde não me fizeram nada por já ser muito tarde. Mandaram-me estar lá na segunda de manhã, para fazer uma consulta de diagnóstico pré-natal e alguns exames adicionais. Vim para casa de rastos, sem saber o que pensar. No sábado fiz o que não se deve fazer: fui à net procurar explicações sobre o meu problema. Estranhamente, fez-me bem. Percebi o que é, porque acontece e quais as implicações futuras.


 


O que eu tenho chama-se Mola Hidatiforme Parcial. E raríssimo, mais propenso a acontecer em mulheres com mais de 40 anos (não confere), com historial clínico de abortos espontâneos (só tive um, não é lá grande historial). O que acontece é um erro de programação na fecundação: o óvulo é fecundado por dois espermatozóides. Obviamente, não é suposto isto acontecer, pelo que o bebé pode ficar com 23 cromossomas da mãe e 46 do pai. A placenta degenera e ganha os tais quistos, coisa que não é nada saudável.


 


Os sintomas disto são... enjoos e vómitos fortes e recorrentes, perdas de peso rápidas e inexplicáveis, prostração, apatia, sono... Ou seja, tudo o que eu tenho, em doses cavalares. Foi bom ter percebido que não eram coisas da minha cabeça, que havia uma explicação lógica para isto.


 


Ontem fui para o hospital às 9h, preparada para um dia passado ali. Fui atendida por uma médica que me disse que, em 23 anos, nunca tinha visto uma mola parcial ao vivo (a mola completa, onde só há formação de placenta mas não de bebé, é mais comum). Fez-me uma ecografia e lá apareceu outra médica que, em 30 anos de profissão, nunca tinha visto uma mola parcial ao vivo. Pediu-me que me despisse para me fazer uma eco com sonda vaginal... porque só esse ecógrafo é que tinha papel e ela queria ficar com as imagens da minha eco para ela... (foi aqui que comecei a sentir-me atracção de circo...).


 


Mandaram-me para o diagnóstico pré-natal, onde me passaram à frente de uma série de grávidas (o caso é mesmo muito grave e urgente...). A médica especialista no disgnóstico fez-me nova eco. Apareceu mais uma médica que, adivinhem... nunca tinha visto uma mola parcial ao vivo. E mais um médico, menos impressionável mas super atencioso, que me explicou os passos a dar de seguida. Fizeram-me uma biópsia à placenta (tiraram-me, a frio, dois pedaços da placenta - não doeu nada, vá-se lá entender...). Agora há que analisar o tecido e perceber se a bebé tem alterações cromossomáticas. Se tiver, não há volta a dar e vou ter que interromper a gravidez. Se não tiver, tem que se analisar a cardiopatia e ver se é tratável ou não. Enfim... estou rodeada de pontos de interrogação por todo o lado.


 


No meio disto tudo, encontrei-me. Sinto-me novamente eu, sem depressões. Parece que o facto de ter encontrado explicação para o que me andava a consumir foi o suficiente para me voltar a centrar. Estou triste, obviamente, mas estou conformada e serena. Sei que o que tiver que ser, será. E sei que a vida e Deus não nos dão nada com que não consigamos lidar...


 


Agora... é esperar por respostas.

65 comentários:

  1. Como és forte Lénia! Obrigada pela partilha, obrigada por existires e seres essa força da natureza.

    envio-te todo o meu carinho e respeito.

    Abraço-te

    pat

    ResponderEliminar
  2. Um forte abraço, do tamanho do mundo e 1000 beijinhos de carinho.
    Nos somos mais fortes do que aquilo que pensamos.

    Muita força.

    ResponderEliminar
  3. Bem... Li tudinho e fiquei super triste com a tua situação... Nunca tinha lido o teu blog e entrar e dar de caras c estas situação desconhecendo a tua pessoa é uma sensação de incapacidade. Não te conheço claro mas acima de tudo não conheço a tua maneira de lidar c as situações.. mas plo que li só posso depreender que és forte.. que vais fazer o melhor pra ti e pra tua família (a dois ou a três).
    Espero do fundo do coração que tudo se resolva!
    Um beijinho e um abraço.
    Vi

    ResponderEliminar
  4. Incrível. E realmente andavas aí com essa sensação estranha a perseguir-te, nem parecias tu...
    Que tudo corra pelo melhor. Estou tão arrepiada com esta situação toda, o meu coração está contigo.
    Beijinhos grandes*

    ResponderEliminar
  5. Sem palavras mas com força para te transmitir. É nestas alturas, das grandes provações, que se vêem as grandes pessoas. Não há grandes conselhos para estas alturas, há sim o desejo de que ultrapassem isso juntos, tu e o teu marido e a vossa família, e que continues a conseguir buscar a tua/vossa serenidade.

    Um grande beijinho

    ResponderEliminar
  6. Um grande e apertado abraço,
    São tão complicadas, mas tãos complicadas estas situações para as nossas cabeças. Espero que a situação se resolva o melhor possivel...
    A espera é terrivel... (sei bem...).
    Nem sei bem o que te diga, porque quando vivi uma situação desse tipo (malformação adenomatóide quistica pulmunar) com o meu bébe mais novo, nada que me pudessem dizer aliviava, por isso, mando-te o meu mais sincero abraço.

    ResponderEliminar
  7. Uma mãe sabe sempre quando se passa algo de errado. Acredito que o timming e a sensibilidade dos médicos não tenha sido a melhor (e eu aí fincava o pé para que eles percebessem que não era a altura certa para exigir espectáculo e que tu ainda tinhas a capacidade de autorizar ou não a recolha de imagens para a posterioridade e reputação médica da senhora doutora).

    Gabo-te a serenidade perante um momento tão emocional. Tudo se vai resolver*

    Abraço,
    J*

    ResponderEliminar
  8. Venho cá com frequência... geralmente não faço comentários. Mas desta vez, como mãe-que-quer-voltar-a-ser fiquei de coração apertado.
    O que se pode dizer... que tudo corra pelo melhor, seja ele qual for.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Um abraço forte e apertado! :( Espero que tenhas muita força para lidar com tudo isto e se precisares de qualquer coisa, já sabes: usa e abusa do meu email ou telefone.

    Beijo enorme!

    ResponderEliminar
  10. Lamento imenso toda esta situação. Espero que corra tudo pelo melhor, tenho a certeza que vai ter a força necessária para saber lidar com esta fase terrível.

    ResponderEliminar
  11. Nem sei o que dizer. Muita força. Sei qual é a sensação de estar deitada a fazer a eco e de nos dizerem que algo não está bem. É horrível, mas somos fortes e temos muito amor à nossa volta que nos ajuda a seguir em frente e a não desistir de voltarmos a ser mães. Boa sorte e muita força

    ResponderEliminar
  12. Não há palavras, apenas o desejo de que as respostas, sejam quais forem, venham o mais rapidamente possível.

    Desejo-vos o melhor do vosso mundo, beijinhos

    ResponderEliminar
  13. Marianne, li este post com muita tristeza e pondo-me sempre no teu lugar. Nunca me aconteceu problemas na gravidez e agradeço a Deus por isso, porque não é nada fácil o que estás a passar!
    Mas é como dizes: "Deus não nos dá nada com que não consigamos lidar..." - Ele tem um plano para todos nós, o que tiver de ser, será!
    Deus vos abençoe e muita força para toda a família.
    Vai dando notícias.
    Beijinhos grandes!

    ResponderEliminar
  14. Só posso desejar que tenhas força e serenidade para enfrentar o que tiver que ser. Dos limões também se faz a limonada, bem docinha. Que tudo corra pelo melhor. Força.

    ResponderEliminar
  15. Que deja vu terrível tive eu agora ao ler este teu triste texto. Nos últmos 2 anos assisti a 3 situações destas e nunca deixa de me chocar.

    Não há palavras que cheguem para dizer o quanto lamento que isto vos esteja a acontecer. Deus escreve certo por linhas tortas, e no que quer que esta situação dê, o que quer que Ele escreva, tenho a certeza que não será um fardo maior que aquele que vocês podem suportar. São jovens e fortes e têm um amor e uma família linda, saberão dar a volta a qualquer provação.

    Muita força e que tudo corra pelo melhor. Eu, e esta malta toda que aqui comenta, vamos estar a enviar-vos energias positivas. **

    ResponderEliminar
  16. Fiquei sem palavras :( Espero que tudo se resolva pelo melhor que for possível e sei que terás força para lidar com o que aconecer. Muitos beijinhos e estou a torcer por vocês

    ResponderEliminar
  17. Espero que corra tudo pelo melhor, Lénia.

    Um abraço,

    Pedro

    ResponderEliminar
  18. Espero e torço, do fundinho do coração, que tudo corra pelo melhor. Estás a passar pela tempestade mas a bonança sempre chega. E também chegará para ti.:)
    Um abraço apertado e um mua grande.

    ResponderEliminar
  19. São poucas as mulheres com tanta lucidez e serenidade numa situação destas. És uma delas.

    Um beijo e desejo que as respostas cheguem o mais rapidamente possível.

    ResponderEliminar
  20. Sei lá eu ao tempo que te acompanho e nunca me tinhas deixado assim, Marianne -também sei o teu nome verdadeiro, mas sei que aqui és a Marianne- sem chão, normalmente leio-te e passo ao post seguinte, ao blog seguinte, era o que ia fazer hoje -outra vez- como sempre, ou talvez até nem o lê-se, que às vezes não há tempo -e às vezes falta também a paciência para long-post- mas prendeste-me e fiquei, li até ao fim, re-li algumas partes e o que está a acontecer contigo, acontece, diária e provavelmente com outras mulheres nesse estado de graça, mas bolas, a ti eu 'conheço' e tenho acompanhado esta gravidez, à medida que me (nos) queres contar, assim como acompanho a vida dos teus filhos, as costuras, as lides da casa, enfim... O blog. Inicialmente pensei em não dizer nada, mas sei que sabe tão bem uma palavra de conforto (mais nada te posso fazer) mas hoje, que decidi aqui comentar pela primeira vez queria fazê-lo, principalmente para deixar uma palavra de carinho e coragem, acredito que sejam dezenas os comentários e mail's perante este post e acredito também que nenhum deles apazigúe a tua dor, ainda assim que te reconforte...

    Hoje e nesta hora difícil quer deixar aqui um grande beijinho, não só para ti mas a todos aqueles que te rodeiam, que aguardam ansiosos por noticias e que torcem para que tudo dê certo.

    Um beijinho grande e muita força

    ResponderEliminar
  21. Eu também fiquei um pouco sem chão ao ler este teu relato. De facto, sentia-te diferente do habitual nos teus escritos, mas atribuía à carga hormonal que, convenhamos, na gravidez é cavalar. Mas infelizmente é algo mais, e o teu instinto realmente não te enganou. Lamento que tudo isto esteja a acontecer, mas vejo-te serena e sei que estás forte e portanto só posso enviar-te o meu abraço de solidariedade e esperar que daqui em diante tudo aconteça pelo melhor. Um grande beijinho

    ResponderEliminar
  22. Muita força!
    1 beijinho grande! ()

    ResponderEliminar
  23. Força. Deixo-lhe um abraço com todo o meu carinho e força. Sei bem qual a sensação de um ecógrafo nos tirar o chão... Fiquei sem palavras..... Mari

    ResponderEliminar
  24. Após ler este post e apesar de não te conhecer pessoalmente (e comentar muito pouco), fiquei com uma vontade enorme de te abraçar... toda a situação só demonstra como és forte! nem quero imaginar como eu estaria se tal me acontecesse....

    muitos beijos!

    ResponderEliminar
  25. Espero que a situação corra pelo melhor e nem imagino o que estarás a sentir! Que Deus te ajude, e vai com certeza fazer com que a melhor escolha seja tomada - independente da qual for.

    Beijo
    Anabela

    ResponderEliminar
  26. Venho cá há anos (ainda era só mãe de uma!) e fiquei. É raríssimo comentar, mas hoje quero fazê-lo (mesmo que não haja nada a dizer!). Quero só enviar-te um abraço grande e dizer que desejo que tudo corra pelo melhor. Se precisares de alguma coisa, é só dizeres. Beijinho

    ResponderEliminar
  27. acho que neste caso as palavras são só palavras e não sei até que ponto cumprem o seu propósito. Estou a torcer para que as coisas corram pelo melhor, seja esse melhor o que vocês e os médicos considerarem. És uma mulher de força (que costumo acompanhar em silêncio), e a quem mando um abraço apertado

    ResponderEliminar
  28. Puxa! Estou arrepiada... Entre a minha 1ª filha e a 2ª tb engravidei sem estar á espera e perdi esse bebé :( ...mas agora já tenho 3 princesas lindas, seja como fôr o que terá de ser será, nisso estou contigo.
    Grande abraço, que tudo corra pelo melhor...

    ResponderEliminar
  29. Muita força Lénia.

    Trabalho rodeada de médicos ginecologistas e obstetras por isso se precisares de uma indicação diz qq coisa que tentarei ajudar no que puder.

    vai tudo correr bem.

    beijinhos carregado de força

    Sara

    ResponderEliminar
  30. estou triste, espero que tudo se resolva pelo melhor por ti, pela tua bebé e pela tua família. Força.

    ResponderEliminar
  31. Fiquei tão triste ao ler este post agora. És uma mulher realmente incrível, a força que tens mesmo com toda a tristeza que sentes faz de ti essa pessoa especial.
    Um beijo e abraço apertado e espero do fundo do coração que corra tudo pelo melhor

    ResponderEliminar
  32. Um grande beijo e um xi apertado. És forte, sim, és directa, sim, és mesmo tu. Este post, assim, directo e racional não podia ser contado de outra forma senão assim, tal como tu és. Tive que respirar fundo depois de ler isto, porque sei que não sou assim tão forte como tu e só de ler fiquei desolada. Um grande beijo e um xi apertado.

    ResponderEliminar
  33. Lamento tanto... não tenho palavras... apenas te posso mandar um abraço do tamanho do mundo. Coragem!

    ResponderEliminar
  34. Olá Marianne,

    Faltam-me as palavras, mas é impossível ficar indiferente a este post longo...

    um beijinho e que tudo corra pelo melhor

    ResponderEliminar
  35. As palavras nunca são nem as certas nem as necessárias nestas alturas ... ao acabar de ler o que escrevestes fiquei com uma sensação ... que estás tranquila ... porque sabes o que se passa ... a tristeza é imensurável ... não tenho dúvidas ... mas sei que vais ter força ... porque apesar dos limões que a vida te tem dado tens sabido fazer limonadas doces ... tens duas provas disso ai em casa ao teu lado ...
    Força e beijos grandes

    ResponderEliminar
  36. :S

    Oh Lénia!... :(

    :x Muita força. Muita, muita, muita, muita!...

    BeijOoOooOOO

    ResponderEliminar
  37. Sou uma seguidora do teu blog. Hoje ao ler e perceber a ausência da escrita fiquei:(
    Admiro a coragem! Por isso resta-me deixar um abraço gigantesco e que tudo corra pelo melhor.
    Beijo
    Neusa

    ResponderEliminar
  38. Gostava muito de vencer estes 300km e de te poder dar um abraço.

    Deixo-te o meu abraço à distância...

    ResponderEliminar
  39. É algo que se sente, que se pressente... nós sabemos quando as coisas não estão bem, por muito que não tenhamos motivos palpáveis para justicar o que sentimos.

    Depois da confirmação, creio que se olha para a situação como se nos dividissemos. Como se fossemos duas pessoas.
    Uma, esta que escreve aqui no blog, que fala da outra, que vive a situação. Uma pessoa que são duas. Duas pessoas que são apenas uma.
    É forma de não sofrer, de protecção, de se isolar daquela pessoa que vive a situação e alhear-se de tudo esperando um desfecho feliz, a esperança a querer manter-se...
    É uma forma de força e de encarar a vida.

    Espero que os teus outros filhos estejam bem, e que tu também estejas dentro do possivel.

    Desejo que corra tudo bem, embora também não saiba qual é o caminho do "correr tudo bem"... deixo-te um abraço com carinho.

    ResponderEliminar
  40. Um abraço cheio de força, que matenhas essa preciosa serenidade nos momentos menos fáceis que se avizinham. Esse sexto sentido... raramente falha quando se trata dos nossos filhos. Um beijinho.

    ResponderEliminar
  41. Espero de coração que tudo corra bem, seja de que forma for e sei que não ajuda em nada o que digo, mas força para vocês.

    ResponderEliminar
  42. Fiquei de inicio sem palavras, mas aos poucos percebi que de facto és uma mulher especial que no meio das agruras da vida consegues encontrar a serenidade. Imagino que não esteja a ser nada fácil toda esta situação, mas o tempo irá ajudar a ultrapassar( palavras fáceis de dizer eu sei) e um dia mais tarde provavelmente e com todo o direito terás direito ao teu terceiro filho tão desejado por vós. Quanto a esta bébé o que tiver de ser será e e e , não consigo dizer mais nada apenas desejar que tudo passe depressa para bem de todos, seja qual for o desfecho. Um beijo grande para ti, Lénia. palavras amigas são a única coisa que aqui posso deixar... Fiquem bem

    ResponderEliminar
  43. Espero que dentro das perspectivas que tens, sintas força e ânimo para lidar com o que o futuro trará, seja ele qual for. Não deve ser fácil, apesar de agora teres uma explicação. Que Deus esteja convosco e vos dê serenidade. Sente o meu abraço. Beijinho

    ResponderEliminar
  44. :( a orar por ti!

    ResponderEliminar
  45. :( beijinho grande. Que corra tudo como tiver de correr... E muito força p vcs.

    ResponderEliminar
  46. Marianne, o facto de se conseguir encontrar no meio de onde a maior parte das pessoas se perderia, mostra muito da sua força interior. Nunca se esqueça que a tem, e que seja sempre ela o seu motor de vida.

    Irá acontecer o que tiver que acontecer, e o nosso pensamento deste lado é para que seja sempre o melhor. Por si e pela sua família.

    Ainda assim, mesmo nesta situação tão específica e rara, essa bebé já mostrou o porquê de ter que existir. Nem que seja porque a ajudou a reencontrar o seu rumo* Toda a força =)*

    ResponderEliminar
  47. Só te consigo enviar um grande beijinho e que tenhas a força necessária para lidar com o que acontecer!

    ResponderEliminar
  48. Lénia, eu ando muito ausente de blogues e afins e só agora dou com este post.
    Curiosamente passei estes últimos dias a pensar em ti e que tinha de te ligar..., estou a penalizar-me por não o ter feito.
    Vou estar a orar por ti.
    Beijinhos grandes, com carinho.

    ResponderEliminar
  49. Marianne,

    Já leio o blog há muito e nunca comentei.
    Hoje sinto que preciso deixar aqui um grande xi-coração, cheio de boas energias, na esperança que tudo se resolva pelo melhor!

    Um grande beijinho e muita, muita, mas mesmo muita força.

    ResponderEliminar
  50. que notícia triste :( um beijinho!

    ResponderEliminar
  51. Passei por aqui algumas vezes, mas nunca comentei, ao ler este texto não pude deixar de me identificar, de certo modo.
    Claro que caso por que passei não me parece ser tão grave, mas toda a incerteza tive de viver durante 4 semanas, não estava preparada, senti alguém puxar-me o tapete de baixo dos pés, perdi todo o controlo da situação. Sei que somos as primeiras a saber, sentimos que algo não está bem mesmo quando todos afirmam o contrário. Felizmente a minha menina está comigo e tudo se ultrapassou, espero do fundo do coração que o mesmo se passe com vocês.
    Nunca irei esquecer de uma frase que me escreveram no blog, nessa altura, "Deus não dá fardos demasiado pesados a quem não os consegue carregar".
    Lamento, deixo um beijo com muita força.

    ResponderEliminar
  52. Muita, muita força para esta fase. Vai correr tudo bem, põe-te tranquila e agarra-te aos teus pequenos. Vamos ter fé. :)

    ResponderEliminar
  53. Olá minha querida, também sou das que lê em silêncio, mas perante este post, tinha que de dar uma grand abraço de força. Eu também passei pela sensação do mau feeling confirmado pelo ecografo. Cardiopatia, TN em 9 , aumentadíssima, após a biopsia: sindrome de turner, 1 em 3000 e calhou-me a fava. Infelizmente ninguém está preparado para ouvir estas notícias, e ainda mais o que vem a seguir, quando tudo acaba, um misto de alivio, com uma tristeza profunda. Ainda bem minha querida que já tens os teus dois amores para te encherem o coração de mimo, no meu caso foi a primeira, bastante dificil de ultrapassar. Graças a Deus hoje já tenho uma princesa com 2 aninhos que ilumina os meus dias, mas aquela que tive que perder com 16 semana nunca a esquecerei. Tudo pelo melhor, muita força, um grande abraço daqueles muito apertados :*

    ResponderEliminar
  54. Marianne, lamento muito, espero sinceramente que corra tudo pelo melhor, um grande beijinho e um abraço:-)

    ResponderEliminar
  55. sinto muito que tenhas de passar por uma dor destas princesa, mas há que ter fé que cheguem resultados de esperança, e que vai tudo correr bem... abraçinho**

    ResponderEliminar
  56. Leio o teu blogue há algum tempo mas sou pouco de comentar. Hoje não resisti a fazê-lo. Não porque tenha algo enorme para te dizer mas porque senti que tinha de o fazer.

    Nunca estive grávida por isso nem vou pelo "eu sei o que tu estás a passar" porque não sei nem sequer imagino.

    Deixo-te aqui apenas um abraço (virtual) bem apertadinho e desejos de força e coragem.
    Beijo grande

    ResponderEliminar
  57. Sigo o teu blog há algum tempo e hoje ao ler este post decidi que tinha que deixar-te umas palavras de conforto...
    Sei exactamente o que sentiste naqueles segundos em que o médico disse que estava tudo errado. É um pesadelo que nos cai em cima, que nos deixa sem chão e sem onde nos agarrarmos e só pensamos mas porquê, será que estou a ouvir bem??
    Também eu passei por esse pesadelo na minha 1ª gravidez. De um minuto para o outro senti-me perdida ao ouvir as palavras do médico:"Está tudo malformado, terá que se interromper a gravidez o quanto antes e esta é uma situação incompatível com a vida!"
    A seguir foram as correrias para o hospital, as ecografias, a biopsia das vilosidades coriónicas, análises e mais testes a isto e aquilo...
    A espera pelos resultados é terrível, os minutos parecem horas, e questionamo-nos várias vezes, choramos muito e nestas alturas, descobrimos uma enorme força interior para lidar com a situação. Tudo se resolveu e passados uns meses voltei novamente a engravidar. Se tudo correr como previsto o Miguel irá nascer no próximo mês :)
    Sei que tens uma enorme força interior e uma familia maravilhosa para te apoiar nesta hora dificil... Desejo-te que tudo corra pelo melhor e vou estar a torcer por vocês :)
    Um beijinho grande.
    Carla Belga (Belguitta)



    ResponderEliminar
  58. O que tiver que ser será... estive hospitalizada até terça-feira por um sindrome estranho e estupido... desejo que o futuro seja o melhor para si e para os seus... nada é definitivo... há sempre hipótese de recomeçar... a vida é feia para vencermos os obstaculos que nos colocam... força... muita força...

    bj
    Fátima

    ResponderEliminar
  59. Marianne estou aqui de lágrima no olho...há cerca de 9 anos aconteceu-me algo parecido.
    Sei bem o que se sente quando o medico nos diz "isto não está nada bem"...parece que o chão nos foge por baixo dos pés.
    Foram duas semana a andar para trás e para a frente a fazer exames.
    Foi uma dor tão grande...

    ResponderEliminar
  60. :) Esses limões são uma merda...assim. Também tive uma gravidez molar. Descoberta às 14 semanas...no dia do aniversário do marido. Ao contrário de ti eu não perguntei se tinha razão e era um menino, e sim também eu andava sabia bem la no fundo que aquela gravidez n soava bem...mas não me deixava acreditar.. O meu bebé estva já morto havia 2 semanas. Disse obrigada ao médico, fui ao advogado tratar de papeladas, fui a casa avisar o sogros que estavam de visita e fui para o hospital. Não tinha um blogue nessa altura...mas se tivesse tinha escrito algo muito parecido. O tempo dá uma nova luz sobre as coisas...apesar de ainda me tocar os nervos os consolos do género" a mãe natureza sabe o que faz" ou " foi para o melhor" Juro que seja por que razão for, espero...nunca mais ouvir estas tretas.Vou seguir o blogue. Gosto muito de tudo.

    ResponderEliminar

Obrigada!