-->

Páginas

08 junho 2012

Vizinhança

Vivo aqui há 8 anos e meio. Nunca tive vizinhos da frente. A casa do lado direito esteve este tempo todo desabitada, por problemas do dono com o banco, os tribunais e o mundo em geral. Até anteontem. Pois que já tenho vizinhos. Ou vizinhas, ainda não percebi bem. Sei que anteontem, às 22h30 (hora a que costumamos estar já TODOS a dormir ou, pelo menos, deitados), tinha uma delas a tocar-me à porta para pedir uma faca. Pensei que começávamos mal... Queriam a fala para cortar uns cabos quaisquer. Disseram que mais tarde tocariam para devolver a faca. Pedimos que não tocassem, que nos íamos deitar. O esperto do meu marido sugeriu que deixassem a faca pousada no nosso tapete. Mandei-lhe um olhar daqueles e disse que não queria facas minhas pousadas no patamar. Deixaram-na num saco pendurado na porta. Menos mal. 


 


Ontem, 22h30, era martelada de meia noite. E eu cheia de vontade de ir lá avisar que tinha dois miúdos pequenos (mais um a caminho) e que se era para a festarola fora de horas eu sou capaz de os pôr a chorar lá à porta. Durou pouco o martelanço. E eu ainda não me habituei aos barulhos no patamar e fico sempre meio... assustada, vá.

1 comentário:

Obrigada!