-->

Páginas

20 julho 2012

Anita no hospital

Ontem foi a primeira consulta de seguimento pos gravidez molar. Cheguei ao hospital às 8h15 para fazer análises. Consulta marcada para as 10h40. Seca descomunal até às 12h30... Li uma revista, li 50 páginas do meu livro, matei a bateria do telemóvel... e nada de ser chamada para a consulta. Depois lá percebi: médica chamada de urgência ao bloco para uma cesariana.


 


Entretanto, na sala de espera, dois casais. As mulheres não se conheciam, os homens sim. Sentaram-se lado a lado (eles), exactamente ao meu lado, e estiveram uma hora e tal a conversar animadamente. Mal se ouviam os nomes que eram chamados para as consultas, tal era a algazarra que faziam. Às tantas, aquando de uma chamada que ninguém percebeu para quem era, soltei um "shiuuuu!" que fez um dos senhores zangar-se...


 


Ele: não é preciso mandar calar ninguém!


Eu: aparentemente é. O senhor está há uma hora e tal a conversar. Isto aqui não é o café nem é o bar. É uma sala de espera de uma consulta de ginecologia e obstetrícia. O senhor vem acompanhar a sua mulher, nem sequer é o senhor que está doente. Respeite quem aqui está à espera de uma consulta. Quer conversar? O bar é lá em baixo!


Ele: os médicos que falem mais alto!


Eu: os médicos é que têm que falar alto? Não! O senhor é que tem que falar baixo ou não falar de todo!


 


Bom... entretanto, à minha volta, muitas grávidas com barrigas enormes, narizes inchados e caras de felicidade. E a dada altura dei por mim numa angústia tremenda, com uma vontade de chorar gigante. Também eu queria estar ali, barriguda, disforme e feliz, a esperar por um CTG ou por um toque.


 


Em vez disso esperam-me seis meses de consultas semanais ou, caso a coisa corra muito bem, quinzenais. Esperam-me análises sempre antes das consultas. E espera-me uma médica novinha, muito querida, que conheci por altura dos toques-antes-do-parto do meu filho. Fez-me uma consulta calminha, respondeu a tudo o que perguntei, percebeu que estou informada, não me atirou areia para os olhos, disse-me o que esperar... Disse-me que a betaHCG está a descer bem, que já não estou anémica (yay!), que posso voltar a correr (duplo yay!), que posso fazer a minha vida normal... e que a minha tiróide ainda não está boa, pelo que posso mesmo aproveitar para perder os 5kg que me faltam...


 


Marcou-me os exames todos para as próximas duas semanas, para eu não ter que me preocupar com nada. É só mesmo ir lá and pray for the best!


 


[Falou-me em três a seis meses de acompanhamento semanal. Significa que, estando tudo bem, daqui a seis meses posso - se quiser... e ainda não sei se quero! - voltar a engravidar... Fiquei feliz. Mesmo que não engravide, só o saber que posso já é maravilhoso!]

9 comentários:

  1. Fico contente por estares bem acompanhada.
    Que este período de espera e de consultas passe depressa e sem mais danos físicos ou psicológicos. Um beijinho e as melhoras*

    ResponderEliminar
  2. É preciso muita coragem para essa fase... Posso só imaginar como será e desejar-te toda a força do mundo e tudo a correr bem, o melhor possível! Daqui a seis meses logo se vê ;)

    Quanto ao pai que se zangou, enfim... É só desses exemplos por essas salas de espera fora... Eu dispensava estar numa e existem pessoas que parece que vão lá só por um pêlo encravado...

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  3. Desejo-lhe muito boa sorte e felicidade! Os bebés tendem a aparecer quando uma pessoa está feliz, descontraída e ...distraída.

    ResponderEliminar
  4. É o problema destas situações... Resolvemos as coisas na nossa cabeça, damos um passo em frente, temos força, voltamos a sorrir...
    Mas há um momento, um grávida feliz, um bebé com o tempo que o nosso teria... E relembramos tudo... E as lágrimas ou o srriso triste bate à porta.
    Um abraço forte...
    E que tudo lhe corra pelo melhor.
    Mari

    ResponderEliminar
  5. Tem piada: há 30 e tal anos, quando foi comigo, só havia uma consulta de seguimento, a que por acaso faltei... E tinha que se esperar 2 anos até engravidar de novo. Esta é a razão dos 5 anos que medeiam entre a nossa filha mais velha e os gémeos, que vieram para compensar...

    ResponderEliminar
  6. Imagino que esse confronto com as outras grávidas tenha sido complicado e doloroso... força e boa sorte.

    ResponderEliminar
  7. Há pessoas que não sabem estar realmente. E ainda procuram desculpar a postura culpando as atitudes dos outros. Enfim...
    FOrça nessa fase. Não imagino o que estás a passar, sinceramente, não quero imaginar. MAs pelo que escreves, sinto que és forte, mesmo sofrendo. Acredito que darás a volta por cima.
    bjs

    ResponderEliminar
  8. Imagino o episodio...há pessoas que não têm a noção do sitio onde estão.
    Fez bem em responder como respondeu.
    Boa semana.
    Ah, é bom saber que em termos de saude a coisa está a compor-se

    ResponderEliminar
  9. Ele há cada um... realmente!
    Mas quanto a ti, vai correr tudo bem e torço para que tenhas alta muito antes dos 6 meses
    beijinhos

    ResponderEliminar

Obrigada!