-->

Páginas

25 julho 2012

Filmes #7


 


Desilusão é a palavra que caracteriza este filme... A versão sueca é MUITO, MUITO melhor, muito mais fiel ao livro (a sério, onde é que foram desencantar aquela versão do que aconteceu à Harriet???). A única coisa que se safa é um Mikael Blomkvist muito mais bonito do que o original. Tirando isso, conselho de amiga: se querem ver esta história no ecrã, procurem a versão sueca. E os outros dois filmes da saga também são muito, muito bons.

5 comentários:

  1. Achei o mesmo sem tirar nem pôr! Infelizmente, ainda não vi os outros dois :-(

    Telma

    ResponderEliminar
  2. Quando vi este filme também o achei muito bom e cheguei a falar dele no blog. Na altura achei que não valeria a pena ver o americano porque desconfiei que dificilmente conseguiria igualar ou superar este.

    ResponderEliminar
  3. Curiosamente gostei mais do filme americano. A Lisbeth sueca parece-me mais com a "verdadeira", mas todas as outras personagens gosto mais no americano. Outra coisa que acho melhor neste último filme é que a história da família Vanger está mais desenvolvida, confesso que quando fui ao cinema já estava de pé atrás a pensar que o filme não ia valer nada, mas tiro o chapéu aos americanos, se há coisa que sabem fazer bem são filmes. :)

    ResponderEliminar
  4. A única personagem que preferi na versão americana foi a Erika, mas é mesmo porque gosto da Robin Wright (ex-Penn). O Bjurman, por exemplo, é ridículo na versão americana. Também gostei do Henrik Vanger porque, lá está, gosto do Christopher Plummer. A Lisbeth é gritante: muito melhor a Noomi Rapace no papel do que a Rooney Mara. Não que esta esteja mal, mas a sueca é mesmo o que eu imagino quando leio os livros.

    Sobre a história: a partir do momento em que aldrabam o final, os americanos "matam" a história. Bastava isso para que, para mim, a versão sueca seja incomparavelmente melhor. A cena da violação está muito melhor explorada na versão sueca... percebem-se melhor as intenções da Lisbeth do que na versão americana... E depois acho que, por serem suecos, conseguem transmitir melhor aquele ambiente soturno dos invernos... Na versão americana faltou-me um bocado desse lado escuro...

    Mas isto sou eu. Tu que vives aí saberás melhor do que eu se alguma destas coisas faz sentido... ;)

    ResponderEliminar

Obrigada!