-->

Páginas

03 agosto 2012

Patrocinador Orgulhoso das Mães

Apareceram há uns tempos uns anúncios da P&G (Procter & Gamble) que tinham por tema central os Jogos Olímpicos e a forma como as mães são a pedra basilar dos campeões. Aquilo termina com a frase "P&G, patrocinador orgulhoso das mães". Os anúncios são giros, sim senhor, tocam no ponto nevrálgico, sim senhor (não há nada como uma mãe para "fazer" um campeão", porque as mães estão em todas as frentes e ajudam e fazem e acontecem), mas termina com aquela frase que, para mim que sou mãe, é um atentado. Porquê? Eu explico.


 


O que é um patrocínio?




patrocínio



s. m.


Amparo, auxílio, protecção.

 


O sentido como comummente se usa o termo "patrocínio" tem a ver com dinheiro: neste sentido, um patrocinador é alguém que ajuda financeiramente, para que o ajudado consiga alcançar objectivos. E é por isto que não gosto daquela frase no final dos anúncios. A mim, enquanto mãe, a P&G não me patrocina de forma nenhuma. Nunca me deu nada para que eu alcance os meus objectivos. Mais: se eu quiser alcançá-los com a "ajuda" da P&G, sou eu que tenho que pagar. Falamos de detergentes, champôs, etc., não falamos de nada mais importante do que isso. Mas se eu, que sou mãe, quiser manter, por exemplo, a roupa dos habitantes desta casa limpa recorrendo ao uso de produtos da P&G, sou eu que tenho que os comprar, não é a marca que mos fornece. É uma leitura de marketeer, assumo. Mas é a minha. E eu sou, além de marketeer, mãe. E não me revejo minimamente naqueles anúncios. E se eu já não era consumidora dos produtos da marca (que são caros - mais caros do que as marcas brancas, que até podem ser produzidas pela P&G, mas são vendidas sob outra insígnia), agora sou menos ainda. No dia em que a P&G quiser ser realmente patrocinadora desta mãe que vos escreve, aí sim, voltamos a falar. Até lá... não mesmo!  

1 comentário:

Obrigada!