-->

Páginas

27 setembro 2012

Relógio desaparecido

Há uns meses resolvi arrumar o relógio que usava todos os dias. Tinha sido presente de Natal do marido, era um One daqueles que mudam a bracelete, portanto dava com tudo. Adorava-o. No minuto em que o arrumei pensei para comigo "tão depressa não te volto a encontrar". Ou seja, se eu não me obrigasse a arrumar aquilo, sabia sempre onde ele estava: ora na prateleita do WC, ora na mesinha de cabeceira, ora em cima do microondas, sempre à vista e fácil de encontrar. Resolvi arrumá-lo e ele desapareceu.


 


*


 


Eu não sou pessoa de aventais. Tenho uns quantos, mas não os uso para cozinhar. Não sou grande espingarda a dar laços atrás das costas e prefiro não me chatear com aquilo. Ando sempre com "roupa de andar por casa" portanto mesmo que haja nódoas não faz mal. De vez em quando, assim muito raramente, lá me lembro e uso o avental, mas é raríssimo.


 


*


 


Igualmente raro é o meu marido fazer o jantar ou tratar da cozinha. Faz outras coisas, mas essas nem por isso. No fim-de-semana andou a plantar umas ervas aromáticas (plantar? semear? whatever...) e usou o avental que estava atrás da porta da cozinha. Remexeu no bolso do avental e encontrou um relógio.



3 comentários:

  1. "Yo no creo en brujas, pero que las hay, las hay" eheheh
    Ou então foi só a criança a brincar de esconde-esconde ;)

    ResponderEliminar
  2. Tens um ratinho que muda as coisas de sítio como naquelas histórias infantis?
    Coisa estranha pá...

    ResponderEliminar
  3. Ó pá, essa história podia ser minha, isso acontece-me com tanta coisa!
    :-D

    ResponderEliminar

Obrigada!