-->

Páginas

09 abril 2013

Quando o passado regressa para nos assombrar...

.. fugimos dele. Eu fujo, pelo menos.


Ora bem, nos idos anos 80, mamãe vestia-me vestidos-de-ir-à-missa para andar na rua, para ir à escola, para ir a sítios que não a missa (mas para ir à missa também). E eu dava por mim com uns mega babetes alapados no peito, como quem diz "sou muito desastrada, babo-me em profusão, por isso careço destes atoalhados aqui". Eu odiava. E odiava as fotos com ar de parola vestida de boneca de porcelana. Hoje, quando olho para as fotos destes desastres, o sentimento é de vergonha. Isso, vergonha. Ah, e tal, usava-se. Certo. Ainda assim, vergonha.


Acontece que eu sou pelo "não faças aos outros o que não queres que te façam a ti". E é por isso que me recuso a vestir roupa-de-ir-à-missa aos meus filhos, principalmente à minha filha, que não fez mal a ninguém para ser obrigada a andar com babetes gigantes só porque sim. Ah e tal, agora usa-se. Oi? Usa? Certo, mas usam-se mais coisas. Ah e tal, é chique. Caguei no chique. Não quero que a minha filha ande chique. Ela tem cinco anos! Tem é que andar confortável, tem que se conseguir mexer e correr e saltar, que é o que os miúdos de cinco anos vêm programados para fazer. E eu não estou para andar de polícia atrás dela, a ver se ela não se esbardalha algures e se não lixa o vestido-de-ir-à-missa que ainda por cima é caro "pa caraças".


Quando vejo miúdos (alguns ainda mais pequenos que a minha filha) com roupa desta só consigo pensar um "coitadinho"... Imagino-os sempre cheios de medo de se sujar, com as mães atrás deles a ver se não vai mais um modelito para o galheiro. Mas quando vejo miúdos com roupa confortável, jeans, uma camisola, um casaco, uns ténis-de-ir-à-guerra acho o máximo. Gosto. Gosto mesmo. E a minha filha também gosta. É da maneira que pode andar por onde quer, tipo tractor (princesa-tractor, como lhe chamo, já que ela é super feminina mas muito despachada e gosta mesmo é de andar aos saltos - não é nada uma daquelas miúdas comportadinhas que ficam queitinhas sem ser preciso mandar dois berros). Ela gosta. Eu também.

6 comentários:

  1. conforto em 1º lugar... afinal de contas, são crianças!!!

    ResponderEliminar
  2. Clap Clap Clap!!!!
    Concordo completamente!!!
    Estou fartinha de ver as crianças com aquelas golas gigantes, laços gigantes, roupa toda pipi...uma vez por outra, mas ir para a escola assim?faz-me realmente confusão. E está mesmo na moda, impressionante. E, para mim o pior é, q por onde olhamos vemos todos assim, deixa de ser giro para passar a ser um exagero.
    Mas gosto são gostos! :)

    ResponderEliminar
  3. Mais de acordo impossível.... mete-me espécie as crianças com um ar "saidinho da engomadoria, não mexe, não toca, não suja"

    ResponderEliminar
  4. Julgo que estamos a atingir um certo extremo hoje em dia. Parece que, de repente, e graças a alguns blogs "famosos" (essencialmente), a grande maioria da roupa das Zaras, C&A, H&M e outras que tais para crianças não tem estilo nenhum. Porque são gangas, porque são duras, porque isto, porque aquilo. Sim, é verdade que há marcas (internacionais) que insistem em transformar as crianças em mini adultos (brilhantes na roupa das miúdas, padrões pavorosos com caveiras e afins nos miúdos, etc.), e isso eu acho detestável, mas também há marcas nacionais cuja roupa eu não compraria para levar o meu filho a lado nenhum, muito menos para se arrastar na areia do jardim do infantário. Não é só a questão do preço (que nalguns casos é totalmente absurdo) mas também pelo tipo de materiais e por deixar as crianças pouco à vontade para fazerem o que mais gostam: brincar.
    Não temos todos os mesmos gostos, nem temos que ter, mas julgo que se está a criar uma onda de "se não vestes o teu filho/a de forma clássica então não tens bom gosto". E isso parece-me parvo.

    ResponderEliminar
  5. Eu, então, sou gaja para chocar as grandes baby fashionistas deste país, as tais dos 'kits' :) O meu pequeno, no dia-a-dia, anda mesmo é de... fatos de treino, polares, sweat shirts. O grosso da roupa dele consiste nisto, porque ele encarna o verdadeiro tractorzinho, que leva tudo à frente, se esponja pelo chão, se suja todo a comer as coisas à mão... e eu não podia care less!
    No final do dia, se formos a algum lado, muda para uma roupa mais de sair; aos fins de semana, e sempre que saímos, usa a roupa "normal". Mas eu não sou NADA apologista de comprar roupa muito cara aos miúdos que, rapidamente, crescem e deixam de a poder vestir. E gosto de um estilo descontraído, prático, e fácil de usar. É assim que eu o visto. :)

    ResponderEliminar

Obrigada!