-->

Páginas

23 maio 2013

E no dia a seguir...

Depois do dia péssimo de ontem (e, por um ou outro comentário que recebi, começo a achar que sou uma espécie rara... uma espécie que, estranhamente, também tem dias maus!), o dia de hoje foi o exacto oposto (sim, podem internar-me... tive um dia bom, imagine-se!! Lá vem a bipolaridade... Porque eu devo ser a única pessoa que tem dias bons e dias maus, conforme calha, sem agenda nem planeamento... Acontece. Acontece também que não tenho problema nenhum em falar de uns nem dos outros...).


 


De manhã fui à Escola Superior de Comunicação Social (a minha ex-faculdade), ouvir uma breve "palestra" dada pelo melhor criativo publicitário da actualidade, que também estudou ali. Foi ele que criou (com a equipa dele, da Ogilvy Brasil) a campanha da Dove que já se tornou na campanha mais vista de sempre da história da publicidade. Não, não é exagero. Portanto, ali estivemos, a ouvi-lo contar a sua história, a ver algumas das suas campanhas, a ver a consubstanciação daquele talento. Emocionei-me (sim, há anúncios verdadeiramente tocantes, como este, que não foi criado por ele, mas sim por outra equipa da agência), ri-me, surpreendi-me. Foi bom estar ali, naquele sítio onde me senti em casa durante quatro anos. Foi bom rever colegas e professores. Foi bom, acima de tudo, ouvir o Hugo. Altamente inspirador, é o que vos digo!


 


Saí dali e fui ao Colombo. Almocei com uma amiga - que também tinha ido ver o Hugo - e pusemos a conversa em dia. Entrei na Zara e usei um vale-prenda-de-aniversário para trazer uma t-shirt de que gostei. Com o tempo contado, rumei à Sé para ir tratar dos papéis do baptizado do meu miúdo. Estacionei o carro num sítio onde, supostamente, não devia (thanks, Vanessa!!) e lá fui eu. Afinal não era na Sé, mas sim em S. Vicente de Fora. Dado o calor que se fazia sentir (e porque eu vivo noutro clima e tinha vestido roupa para o frio), achei melhor ir de eléctrico. Enfiei-me num 28 e lá fui eu. Entrei na igreja, perguntei pela Chancelaria - era nas traseiras. Lá fui eu, já a suar por todos os poros, com os pezinhos queimados (muito inteligente ir para os 27º de meias e botas!). Chegada lá percebo que não tenho dinheiro comigo e que não havia terminal de pagamento por multibanco. Toca de voltar para trás para ir levantar dinheiro à Voz do Operário. Depois foi voltar para a Chancelaria. Deram-me o papel de que precisava. Voltei outra vez para trás, para apanhar novamente o 28. Desta vez saí no Miradouro de Santa Luzia, para turistar. Tirei umas fotos e desci a pé o resto do caminho até ao carro. Andei às voltas - nada de grave - até estar de novo na Rua da Madalena. Daí o caminho fez-se para casa da minha mãe, para ir buscar a miúda para a levar à natação. Sabem aquelas pessoas com quem NÃO nos queremos cruzar nos transportes? Hoje fui uma dessas pessoas! E nem a dose brutal de desodorizante me safou! Portanto cheguei a casa da minha mãe e enfiei-me na banheira! E dei uso à t-shirt que comprei na Zara! Fomos à natação, lá baixei a rotação e a coisa voltou à normalidade.



Portanto, é isto: ontem foi mau, hoje foi bom. É a vida normal. Não estou sempre em alta, não estou sempre em baixo, sou feliz assim. Sou feliz todos os dias? Não. Mas não sou infeliz. Como toda a gente, tenho fragilidades e coisas que me moem. E sou humana, assumo-as sem problemas. Não sou a super-mulher, não sou melhor do que ninguém. Sou eu.

9 comentários:

  1. É normal termos dias maus e dias bons, qual era a piada se a nossa vida fosse sempre só bons acontecimentos? São os maus dias que também nos ajudam a lutar. Ai que saudades que eu tenho de uns 27ºC, de passear por Lisboa e de andar de eléctrico. O que vale é que daqui a menos de um mês vou voltar ao nosso lindo país e matar saudades! Um beijinho grande

    ResponderEliminar
  2. És portanto um ser humano, uma pessoa igual a tantas outras (ia dizer igual a toda a gente, mas não quero ferir susceptibilidades nem ofender ninguém...), grupo no qual me incluo. E ainda bem que hoje o dia foi melhor!

    ResponderEliminar
  3. Eu tenho tantos desses dias...a vida é mesmo assim. Não comentei ontem, mas li o que escreveste e solidarizei-me em silêncio. Ainda bem que hoje tiveste um dia bom. Isto é um jogo de equilíbrios mesmo. :)
    Beijo

    ResponderEliminar
  4. ups, espero que não te estejas a referir ao meu comentário que já vi que ainda nao foi aprovado. se estás, a intenção não era de todo essa.
    se estás, acho que à terceira desisito de te comentar de vez, já percebi que não vamos lá.

    concordo com o que dizes, dias maus todos temos. até as pessoas que só comem sushi e põem golas nos miúdos.
    todos temos problemas, todos temos dias bons e dias maus sem agenda.
    fico feliz por teres tido um optimo dia :)

    ResponderEliminar
  5. Não, nada disso!! Escrevi o post enquanto estava a fazer o jantar e não me lembrei dos comentários que estavam pendurados. Já está tudo online. Só não aprovo comentários ordinários, ofensivos ou que falam mal de outras pessoas. De resto, sou pelo debate de ideias civilizado. ;)

    ResponderEliminar
  6. Desde que fiquei desempregada os meus dias são tantas vezes como o teu dia "mau" :) mas eu gosto da minha casa e do meu mundo e por acaso não tenho pijamas, mas adoro as minhas camisolas XXL tão usadas que já têm buracos!

    ResponderEliminar
  7. Ah, consigo entender-me tão bem com essa(/esta) bipolaridade... :)

    Até parece que oiço o "outro" cantar: "Porque eu só estou bem aonde eu não estou. Porque eu só quero ir aonde eu não vou."

    Mas depois, quando estes dias bons vêm, sentimo-nos umas sortudas. :)

    Life is a Roller coaster. Enjoy the ups, close your eyes while the downs pass...

    Beijinho

    ResponderEliminar
  8. Todos nós temos dias bons e dias que, mais valia não termos saído da cama! A vida é mesmo assim, por isso só a nossa atitude perante a vida é que nos permite dar o melhor de nós... E lembra-te, não há ninguém perfeito, mas também cada um(a) de nós é única! :) E sabe sempre tão bem tirar umas fotos em Lisboa :) Beijinhos e um bom fim-de-semana.

    ResponderEliminar

Obrigada!