-->

Páginas

07 maio 2013

Mais um livro dos bons!


Sim, eu (quase) só leio policiais. Tive uma fase "romance histórico", mas deixei de encontrar romances históricos daqueles mesmo bons, cheios de ritmo e fui lendo outras coisas. O meu gosto literário é esquisito, eu sei. Recuso-me a ler romances de cordel - Nicholas Sparks e sucedâneos, Sveva Casati Modignani e afins. Leio menos clássicos do que "devia" - há uma série deles que quero ler em breve e que estão ali ao lado a olhar para mim, mas se calho a ir à biblioteca já sei que venho de lá carregada de livros que são, regra geral, policiais.


Também gosto de livros "difíceis" (termo tão discutível, senhores...): Saramago, Kureishi, Cleave. Gosto muito de literatura oriental (de ou sobre o Japão, principalmente). E gosto de um ou outro romance que não encaixo naquela treta daquela categoria de "romance de cordel" - o "The Help", por exemplo. Nunca li Young Adult, mas acho que é coisa de que não vou gostar - o mais próximo que estive disto foi com o Crepúsculo... li 30 páginas e fechei aquilo, que era mau demais... demasiado teen, isto é. E eu tenho tempo para aturar cenas de teens... quando os meus filhos lá chegarem. Até lá, fico-me pelas cenas de crescidos (fiz o mesmo com filmes de animação: não via nada, mas vejo agora, com eles. E assim faz sentido. Agora ir empatar dinheiro no cinema para ver os Up da vida só porque sim... não me parece. Bom, adiante.


 


Já expliquei algures o meu fascínio por policiais. Se há quem se encante com histórias de amor (booooooooooooring), eu encanto-me com psicopatas, sociopatas, sangue e entranhas. Cenas...


Aquilo que verdadeiramente me interessa nos policiais é a mecânica mental da coisa. É perceber os requintes de malvadez dos criminosos. É perceber até que ponto o autor foi genial - se nos dá uma trama daquelas que ninguém consegue deslindar antes de ele próprio nos juntar as peças à frente dos olhos, então tem o meu voto. E não é fácil. Há muitos policiais manhosos. Há muitos policiais básicos, sem encanto, superficiais.


E depois há os outros. Há o "Messias", Boris Starling, que não me canso de elogiar. E, dentro do género, achei que seria difícil - para não dizer impossível - que alguém chegasse lá perto. Enganei-me.


 


Na minha última ida à biblioteca trouxe apenas livros que tinham sido devolvidos nesse dia. Policiais, todos. Um com laivos de histórico, mas ainda assim policial. Comecei a ler este, "O Suspeito", sem nunca ter ouvido falar dele. Claro que fui ao GoodReads investigar - and God knows o quanto isto é uma asneira, por vezes! Pareceu-me bem. Peguei-lhe. Não o consegui largar enquanto não o acabei. Foram 500 páginas em 3 dias (com dois filhos pequenos e blábláblá). Aquilo é viciante. E perturbador. E tão bem arquitectado, senhores!


Portanto, para vocês que de vez em quando vêm aqui espreitar as minhas opiniões literárias à procura de "o que ler a seguir", conselho de amiga: leiam isto. Vale a pena! (E como os restantes volumes desta colecção - ou seja, livros do mesmo autor, com o mesmo personagem principal - ainda não estão editados cá, vou recorrer ao meu bom amigo The Book Depository e tratar de fazer viajar um exemplar do segundo livro cá para casa. ASAP...)

12 comentários:

  1. Tens de ler Jean-Christophe Grangé, é muito bom :)
    Eu praticamente só leio policiais, são os únicos que me prendem mesmo agora, partilhamos mais ou menos os mesmos gostos literários.
    O último livro que li foi a Vidente da dupla Lars Kepler e adorei. O anterior, o Executor também está muito bom.

    ResponderEliminar
  2. Tenho que investigar esse senhor.

    Dos Lars Kepler, li "O Hipnotista", gostei. Li "O Executor", não gostei tanto. Agora quero ler "A Vidente" e logo se vê...

    ResponderEliminar
  3. Também adoro policiais e já anotei todos os que referiste. Obrigado! :)

    P.S. - Enganaste-te ali no último parágrafo, escreveste vêem em vez de vêm ;)

    ResponderEliminar
  4. Ai Lénia, não devias ter dito isto! Se dizes que está perto do "Messias", que adorei, lá vou ter que comprar este também. Ainda há bocado gastei um dinheirão em livros, mas não resisto. Obrigada pela dica.

    ResponderEliminar
  5. Olá. Daqui leitora antiga que nunca comentou, mas com mesma paixão por livros. Já leste Rubem Fonseca?
    Pat

    ResponderEliminar
  6. já te disse que foi direitinho para a wishlist-feira-do-livro, não já? ;)

    ResponderEliminar
  7. Foi a primeira vez que cá vim e nem sou muito de andar a comentar na blogosfera, mas aquilo que escreveste sobre as razões que te levam a gostar de policiais cativou-me de imediato. Andava à procura de sugestões de bons policiais para comprar na Feira do Livro e, bom, acho que vou confiar nas tuas críticas e anotar um ou dois títulos. Ou mais... ;) Obrigada.

    ResponderEliminar
  8. Thanks!!


    (Fui espreitar o teu blog, que não conhecia. Fiquei freguesa!)

    ResponderEliminar
  9. Lénia porque diz que se recusa a ler romances como os da Sveva?

    ResponderEliminar
  10. Porque não gosto do género. Não tenho interesse em histórias de amor, desamor e similares. Não é por nada, é só porque não faz mesmo o meu género...

    ResponderEliminar

Obrigada!