-->

Páginas

27 agosto 2013

Adolescências antecipadas

Aparentemente, tenho uma adolescente de cinco anos em casa. Anda impossível. Desde que acabou a escola que tem sido o descalabro. Grita, faz birras, contraria tudo o que lhe dizemos, responde torto, não cumpre ordens... Este ano, pela primeira vez, percebo aqueles pais que anseiam pelo reinício das aulas...


Ontem dei por mim a pensar nisto: como é que se pratica aquela coisa da parentalidade positiva com uma miúda que faz tudo ao contrário do que lhe dizem? Como é que se evitam os gritos e as sacudidelas no rabo? Com base em quê, se ela nem quando negociamos a bem acata o que lhe dizemos? Não posso (nem quero!) entrar numa de a compensar se ela se portar bem. Portar-se bem é a obrigação dela, não dá direito a compensação. Quando se porta mal lá vem a palmada pedagógica (como diz a Ursa) ou o castigo. Mas odeio andar assim. E nem sequer exijo muito dela! Só quero que arrume o que desarruma, que não responda torto e que faça o que lhe digo para fazer.


Ontem foi um dia para esquecer. Devo ter sido ouvida no prédio inteiro. E houve castigos e ouve zangas... e, ao jantar, quando a coisa já estava mais calma, olhei para o mais novo e vi uma "cratera" no cabelo dele... pois que a senhorita sua irmã resolveu, sabe-se lá porquê, dar-lhe uma tesourada no cabelo... Passei-me, claro. E ela sempre de nariz arrebitado, a responder torto... ARGHHHH!!!


 


[A sério que não dá para os congelar agora e descongelar lá para os 20 anos??]

12 comentários:

  1. Bem que terro não deve ser nada fácil..
    está-lhe a fazer falta a escola, já falta pouquinho..

    espero que hoje o dia seja bem mais calmo...

    kisses***

    ResponderEliminar
  2. Pois...story of my life, com a Diana. Desde os 2 anos. LOL
    Por isso é que eu não compreendo quem consegue não gritar e não dar palmadas. Mas o defeito pode mesmo ser meu, que tenho o pavio curto para más criações, respostas parvas e teimosias irracionais. A minha está melhor, está...convenhamos. Mas continua a dar muita luta.
    Boa sorte! Melhores dias virão.

    ResponderEliminar
  3. Tenho-me debatido com esse assunto desde sempre e tem o meu filho também 5 anos... Pode passer exagero mas desde que nasceu que apesar de uma criança linda, inteligente e que eu adoro, é uma criança dificil de educar (é mto birrenta, diz que não a comer, tomar banho, dormir, etc). Tento negociar, tento pelo bem, tento pelo "mal" (palmada). Até aos 3 anos e pico não dormia e não deixava dormir... o meu corpo sentiu as consequencias e andei a tratar-me com antidepressivos (o único remédio eficiente, segundo os médicos) para tratar a ansiedade crónica, ataques de pánico e ansiedade (pois meu corpo gravou todas essas noites e agora, mmo que hajam noites calmas, não "desliga"). Há 3 meses atrás deixei de tomar antidepressivos e não durmo antes das 4h... comecei a deprimir... o miudo está de férias e não dá sossego... estou pior... e DESCULPA...acabei por desabafar e não era suposto. Desculpa...!:(

    Beijinhos, paciência que ela há-de melhorar! Tb penso assim do meu!

    ResponderEliminar
  4. olá,

    tenho uma igualzinha cá em casa....tente ignorá-la....vai ver que resulta!
    Quanto às birras, deixe-a acalmar e depois dê-lhe o castigo. Repreende-la de imediato, pode agravar o comportamento. Ressalvo aqui, como é óbvio, comportamentos perigosos e mais gravosos, pois neste caso há que intervir no momento.
    Beijinho duma mãe que a compreende

    ResponderEliminar
  5. Compreendo-te lindamente...!
    A minha nunca foi difícil: sempre dormiu bem, comeu bem, portava-se dentro da normalidade. Este ano... não percebo! Ou antes, até percebo: demasiado tempo com a mãe! No ano passado, quando ela saiu da escola, eu estava em recuperação do aborto e ela ia muitos dias para os avós. Este ano tem estado comigo desde o início de Julho e deve ter-lhe nascido um rei na barriga nos entretantos! Eu sei que isto faz parte e que é uma fase e tal... mas é desgastante. E eu odeio sentir este cansaço. Queria estar sempre bem com ela, queria que ela se portasse como deve ser. Eu não sou de andar em cima deles... mas há coisas que não admito. Enfim... daqui a três semanas começam as aulas. Pode ser que melhore...

    (Beijinho e força!!)

    ResponderEliminar
  6. Bem.... como me revejo neste post.....

    Mas a minha só tem 3 anos.... e negociar já não chega porque aquela besniga tem resposta para tudo!!! Para além do que é cansativo... e desde que o Pai foi para Angola e que fiquei sozinha com ela.... eh pá..... dá mesmo vontade de a trancar até aos 18 anos!!!!

    Mas a escola está quase a começar....

    ResponderEliminar
  7. A Lénia foi ao encontro do que o meu pai sempre me diz...
    « passa muito tempo contigo.... excesso de confiança....
    São fases.... pois.
    Mas .... as fases não param de se renovar.
    E é mesmo desgastante.
    E os puristas que se acalmem pois,NÃO está em causa o quanto a amo e dou graças a Deus por a ter.
    E era só mesmo...« não responder torto,nem ir « ali prender o burro e volto já que é certo,»,nem fazer SÓ o que ela acha....não importa QUANTAS vezes a mãe lhe explicou que ,não filha,não é assim !!!!!
    Beijinho de mãe

    . margarida .

    ResponderEliminar
  8. Nop. não dá! BOA SORTEEE :D

    [mas dá um bom F&V: filhos e não filhos <3]

    ResponderEliminar
  9. Leia o blog aproveitar a vida, tem uns post muito bons sobre este assunto!...
    E paciEncia! Agora imagine o que sofre um prof sobretudo quando eles resolvem querer as mesmas coisas ou implicar uns com os outros... E depois quando os pais desautorizam os profs!... Tudo bom
    :)

    ResponderEliminar
  10. Estou a ler o teu post e a ter um dejá vu ;)
    A diferença é que tenho um rapaz de 6 anos, porque os comportamentos e atitudes de oposição são os mesmos, e os meus pensamentos de mãe sobre como pôr em prática os princípios da parentalidade positiva no meio deste caos, idem ""!
    Portanto, não estás sozinha ;)

    ResponderEliminar
  11. Pois a minha é igual,mas sempre foi assim.Penso que vai melhorar com a idade e só piora.Com 4 anos parece uma adolescente.Responde torto,grita,bate com a porta...e eu por muito que tente não gritar nem lhe bater,chega-se a um ponto tal de saturação,em que é humanamente impossível não reagir.Tem dias em que é a filha perfeita,agradece,diz por favor,faz o que lhe digo respondendo um "sim mamã" e noutros fica um diabinho autentico. Às vezes só me apetece atirar-me da janela,tal é o cansaço psicológico.Não posso ficar só com a filha boa?! ;)

    ResponderEliminar
  12. Pois é. Por vezes os nossos mais que tudo tiram-nos do sério!!! Nesses momentos sonhamos com a calmaria do tempo de escola. Acontece a todos! Ir com calma...

    ResponderEliminar

Obrigada!