-->

Páginas

21 setembro 2013

Borboletas

A manhã de hoje teve borboletas. E teve amigas. E conversa da boa. E trabalho. E sorrisos. Foi pela mão da Limetree que nos juntámos todas - um grupo giro de embaixadoras, para um pequeno-almoço de convívio. Foi tão bom!! É bom quando sentimos uma energia boa no ar, sabem? Quando sentimos que aquelas pessoas que estão ali estão no mesmo comprimento de onda que nós. É bom sentir esta empatia. E é bom gostar destas miúdas! À Limetree agradeço o convite e a oportunidade de guardar momentos destes no coração - e lá, no meu cantinho Limetree.


Foto de Pau Storch


 


[Este post não é publicitário - ninguém me pagou para falar de nada. A Limetree convidou-me para ser uma das embaixadoras da marca e isso não envolve transacções financeiras. Aceitei o convite porque me identifico com o projecto e porque gosto das pessoas que lhe dão vida.]

4 comentários:

  1. Eu que sou toda dada a estas coisas virtuais, ainda não consegui perceber bem o conceito Limetree.

    ResponderEliminar
  2. Foi uma manhã fantástica, graças a vocês... Mais uma vez provou-se que são as pessoas que valem mais. Junta-se um conjunto de pessoas giras e interessantes, com uma paixão em comum (os seus filhos) e o resultado é este :)
    Um grande beijinho para vocês!

    ResponderEliminar
  3. Assim, em traços gerais: é uma plataforma que te permite guardar registos (fotos, cartas/textos, vídeos e áudio) dos melhores momentos dos teus filhos (e não só, mas a coisa é muito virada para os filhos). A parte gira é que aquilo é totalmente privado (não é rede social, nem blog acessível a toda a gente), portanto podes escrever completamente à vontade. Podes criar uma "pasta" para cada filho e ir guardando o registo, como se fosse um diário. E um dia podes dar-lhes acesso para eles verem por eles tudo o que guardaste. Se acontecer uma "desgraça" daquelas que nos deixam em pânico (perder o telemóvel cheio de fotos, queimar o disco do computador, etc.), tudo o que está ali está salvaguardado.

    Acho que é um mimo fabuloso, para eles. Imagina, daqui a uns 15 anos, o Pedro a ler o que foste escrevendo sobre a infância dele! Uma coisa são aquelas histórias que ficam na memória... mas a memória é traiçoeira! Ali guardamos tudo, como se fosse um blog, mas só nós temos acesso.

    ResponderEliminar
  4. Adoro o conceito. Sou fã!!
    (estás tão gira!!!)

    ResponderEliminar

Obrigada!