-->

Páginas

24 setembro 2013

Deparo-me cada vez mais com situações-limite com os meus filhos. O pequeno já começa a ser mais crescido. A maior já sabe bem o que quer e o que não quer. Fartam-se de brigar um com o outro, disputam brinquedos, nem sempre andam com as estrelas alinhadas. Resultado: um berro aqui, uma palmada ali, alguns castigos, eu com os nervos em franja, eles também.


Penso muitas vezes que tenho que arranjar maneira de domesticar as feras. E que preciso de contornar estas situações de stress de outra maneira. Lembro-me muitas vezes da Magda, mas nem sempre consigo fazer segundo o que ela diz - adorava conseguir não ter que dar um grito de vez em quando.


Bom, a que propósito vem isto? Ontem, na minha timeline do Facebook, dei com um artigo muito bom partilhado na página da Limetree. E tudo voltou a fazer sentido. Mensagem interiorizada. Agora é pôr em prática!

1 comentário:

  1. Também li atentamente esse artigo, e sinceramente questionei-me sobre se seria capz de o seguir... os meus ainda são tão pequeninos e há dias em que movida (talvez) pelo cansaço, perco a paciência com mais facilidade, que quando chegarem á idade de serem mais "conflituosos" receio perdê-la mais vezes do que queria! Espero ter a clarividência, para nessas alturas me lembrar do artigo, da Magda, e das pessoas que como tu me têm feito pensar neste assunto!
    Em todo o caso, acho que um grito de vez em quando ou uma palmada na altura certa nunca fizeram mal a ninguém! ;)
    Beijinho

    ResponderEliminar

Obrigada!