-->

Páginas

30 outubro 2013

Por favor...

... não me digam que "gostavam de ser como eu, e de fazer desporto e de tentar mudar hábitos" e tal. Não me digam isso. Porque depois a minha cabecita começa a rodar a mil, a imaginar formas de vos ajudar (não encontro palavra melhor, sorry) e de vos fazer mexer os rabiosques. Eu sei que o defeito é meu, que sou incapaz de estar quieta no meu canto. Mas o que é que querem?, não sou capaz de ver gente no ponto em que eu estava no ano passado e não fazer nada, ficar só de plateia, a olhar...


 


Tenho dado por mim a fazer uma triste figura - felizmente, faço-a "para dentro", porque nunca verbalizei isto: quando vejo pessoas que podiam cuidar-se melhor, que deviam fazer alguma coisa pela sua saúde, pelo seu bem estar, sossegadinhas no canto delas, dá-me vontade de me armar em "testemunha de jeová" e ir lá dar uma palavrinha. Não em tom de crítica - nada disso!! -, mas em tom de incentivo. Sei lá, acho que toda a gente merece tratar-se bem. E se, no final, isso significar mais um ou dois anos de vida... é lucro, certo?


 


Portanto, é isto: ando aqui a dar voltas à cabeça e a pensar no que é que eu poderei dizer ou fazer que vos motive, que vos dê força, que vos faça meter a primeira, soltar o travão e deixar a máquina andar...


 


[Por favor não me entendam mal! Eu não sou nenhum suprasumo do assunto, nem sou melhor do que ninguém - basta ver que estou com o mesmo peso que tinha no ano passado! Ainda não dominei a arte de comer em condições e não como uma pequena lontra, mas já dominei a parte do ginásio. Dei cabo da preguiça, consegui combater a minha inércia e vou lá, religiosamente, fazer o que manda o plano. Custa, é certo. Mas tem feito milagres por mim! Mais do que o corpo, mudou-me a cabeça, que era o mais complicado. E é exactamente isto que eu gostava de ver do lado de lá: gente feliz com mudanças graduais, que tragam a reboque mais saúde!]

2 comentários:

  1. Então pensa lá em ideias, que eu bem preciso delas.

    ResponderEliminar
  2. Já estive no ginásio e vi diferenças. Deixei para fazer yoga (porque por uma série de motivos) e o money não dá para tudo. Fui notando a perda de tonicidade que tinha ganho e de uma forma barata (andar/correr nos dias que não tenho as aulas de yoga) vou dar a volta a isto. Mas estive um bocado preguiçosa. (eu que já tinha visto que é possível, desleixei-me). Ah e esta semana comecei a fazer um plano de yoga todos os dias de manhã (e não apenas nas aulas) A alimentação está a mudar (aos poucos) e sinceramente esta é a parte que mais me custa!

    ResponderEliminar

Obrigada!