-->

Páginas

13 novembro 2013

Escrever, escrever

À noite, enquanto me preparava para ir para a cama, veio-me à cabeça uma frase. E outra a seguir. E outra. Despachei-me enqunto ia repetindo para mim mesma as frases, para que não me fugissem (acontece tantas vezes...). Sentei-me na cama e abri o caderno, escrevi as frases e vi o resto da história tomar forma. É sempre assim. As short-stories que mais gozo me dão nascem assim, de uma frase que aparece a bailar na minha cabeça, que se enrola na língua e que pede para ser cuspida, como se fosse um pequeno demónio a pedir para ser exorcizado. O resto vem atrás. Como se, na verdade, aquela história já existisse e precisasse apenas de ser materializada. Ontem dei vida a uma. Foi o melhor do meu dia.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada!