-->

Páginas

13 novembro 2013

Querido diário

Enquanto estive grávida da minha filha - e até ela ter cerca de um ano e meio - mantive um blog privado onde escrevi tudo (inclusive coisas que não tinham nada que ver com a gravidez, era mesmo o meu blog diário). Ontem apercebi-me de que não sabia o que era feito desse blog, isto é, quais eram os dados de acesso. Pânico. Não por mim, mas por ela: quero muito que um dia ela possa ler tudo o que eu escrevi, que saiba tudo o que aconteceu, que saiba como foi a gravidez e os primeiros tempos de vida dela.
Depois de dar voltas e voltas à cabeça lá me lembrei. E fui reler. Gostei tanto... não voltei aos primórdios do blog, mas fartei-me de ler posts com as coisas que ela dizia e isso fez-me lembrar de como ela era em pequenina (a memória é uma coisa lixada e vai esfumando estas informações importantes). Foi quase como se voltasse a tê-la ali, mínima, esperta, bochechuda, ao meu lado.
De vez em quando é bom ir lá atrás, aos arquivos, e ler aquilo que já fomos. Escrevo blogs há mais de 10 anos e muita, muita coisa mudou entretanto. Acho que estes 10 anos acompanharam a maior mudança da minha vida: deixar de ser miúda para passar a ser mulher, deixar de ser só eu para passar a ser eu e mais três pessoas. Muda tudo. E é bom reler, voltar a lembrar o sítio de onde viemos, as coisas em que acreditávamos, as dores e as alegrias que fomos vivendo.

1 comentário:

  1. indeed! esse lado de "querido diário" que os blogs têm é reconfortante!

    ResponderEliminar

Obrigada!