-->

Páginas

25 novembro 2013

Recomeçar

Parece ser o meu verbo deste ano: tenho passado a vida em recomeços. Porque sou parva e não termino o que começo. A minha determinação, quando apontada a mim, é coisa que já viu melhores dias. Tenho desistido de mim com demasiada facilidade. Há dias apercebi-me de que estou a três meses do meio da minha década dos 30. E quero mudar. Ainda tinha esperanças numa mudança por magia, mas não vai acontecer, não é? (Não percebo porquê, mas pronto...)


Vou parar de falar no assunto aqui. Sei que é chato estar sempre a ler a mesma coisa. Se e quando chegar onde quero, conto-vos do processo. Até lá, falemos de outras coisas que já nem eu me aguento a falar de dietas e de pesos e o diabo a sete (isto é mais cansativo a nível psicológico - por ter que estar sempre a pegar de novo onde desisti - do que físico - o ginásio faz-se bem, a alimentação já me custou mais; o que me custa mesmo é isto do pára-arranca constante).


Wish me luck... e a ver se falamos sobre isto em Fevereiro...


 

1 comentário:

  1. Eu já desisti de pensar nisso. A sério. Chamem-me o que quiserem. Causa-me sofrimento não poder comer um doce sem ficar a matutar que aquilo estragou tudo. Tento não exagerar. Só. Comer 3 refeições principais, não colocar demasiados hidratos de carbono, não repetir. Nada de snacks antes de dormir e entre refeições e tentar comer pão só de manhã. Mas sem fundamentalismos. E água...agora bebo chá, para aquecer a tripa. Não me peso sei lá há quanto tempo. Talvez desde o fim do verão. Mas olha, com dietas e afins fico infeliz e chata. Não vale o esforço. É preciso é não estar balofa e sentir-me bem comigo. Ser saudável. Beijo. Entendo-te. Entendo-te bem.

    ResponderEliminar

Obrigada!