-->

Páginas

21 janeiro 2014

3


[Há 3 anos não estava este temporal. Há 3 anos saí de casa a saber que, quando regressasse, seria contigo aninhado no colo. Há 3 anos almocei sushi e comi até as dores me deixarem comer. Há 3 anos rebentaram-me as águas em cima de uma lomba, em Carnaxide, entre o shopping e a casa dos nossos amigos, o barulho de uma tampa a ser arrancada, garrafa aberta, um osso a partir. E a dor, uma dor aguda e Rebentaram-me as águas, Ai, caraças, vais-me sujar o carro todo, Não vou nada, vais ver. Não sujei. Nem uma gota sequer. Há 3 anos entrei no hospital, disse ao que ia, fui à casa de banho antes de ser internada. Ninguém me mexeu para confirmar a ruptura da bolsa, Sim senhora, vai ficar internada, vou dar-lhe as coisas para mudar de roupa, pode tomar um duche se quiser. Quis, claro que sim. Um duche e contracções. Soube-me tão bem, sabia lá eu quantas horas até poder tomar um duche como deve ser. Três e meia, três dedos de dilatação, Sala de Partos 1, a mesma onde nasceu ela, 3 anos e 1 mês antes. Quatro horas. Dr. Miguel, anestesista, a primeira pessoa que conseguiu anestesiar-me sem que eu me sentisse a morrer. Epidural que não pegou. Que se lixe, já o parto dela tinha sido com epidural-sem epidural, aquilo não há maneira de pegar em mim - achava eu; um ano e meio depois, no aborto, pegou e foi a coisa mais fácil de sempre. Quatro e meia, dilatação completa (sim, numa hora - é o que me faz a epidural), Mãe, vai fazer força mas ainda não é para ele nascer, ele está muito subido, primeiro vamos ajudá-lo a descer, não se preocupe, isto pode demorar, mas nós estamos aqui. Se ao menos me tivessem explicado isto no parto dela, talvez eu não tivesse panicado e não tivesse berrado por um médico e implorado por uma ventosa que foi mesmo a solução final. Cinco e trinta e oito, é lindo - não era nada, era muito moreno, cheio de sangue, mas era meu e estava ali, no meu peito, um parto fácil, um parto curto, um parto com dores que acabaram ali, no segundo em que ele nasceu.

21 de Janeiro de 2011, 17:38. Parabéns, filho. Parabéns, André.]

 

10 comentários:

  1. Parabéns, mamã! Parabéns ao filhote, que deve estar giro que dói e muito maior, desde a ultima vez que o vi.
    Espero que seja um dia muito feliz, apesar desta chuva chata.
    O bolo está um mimo. Adoro!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Muitos parabéns ao André e aos pais :)

    ResponderEliminar
  3. Arrepiei-me... Parabéns ao pequeno André, que já está tão crescido! :)
    Um dia feliz para todos*

    ResponderEliminar
  4. Parabéns pelo teu pequenino e adorei o texto :) amor puro

    beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Muitos parabéns!!! A ambos!!!

    ResponderEliminar
  6. Que texto tão bonito! Parabéns André, e parabéns, Mãe.

    ResponderEliminar
  7. Parabéns à mãe e ao filho!!! E o bolo lindo, claro. Beijinhos e tudo de bom! Felicidades!!

    ResponderEliminar
  8. Parabéns aos dois! Muitas felicidades :)
    (e o bolinho lindíssimo, como sempre!)

    ResponderEliminar

Obrigada!