-->

Páginas

04 abril 2014

Coração nas Mãos #07_Ana

E depois entravas assim de mansinho e, tímida, sorrias. E eu olhava-te pelo canto do olho, o desejo escondido em silêncio. E perdia-me nos sorrisos e nos silêncios, no tempo que parecia fugir. Nunca sentia o peso dos minutos nas covas doces que o teu sorriso te escava no rosto. Eras tu e o teu cabelo revolto, que enrolavas entre os dedos enquanto lias as páginas do livro. Eras tu quando levantavas os olhos e deixavas que te encontrasse e então, tímida, sorrias e enrolavas ainda mais o cabelo e baixavas a cara rumo ao livro que te acolhia sempre, protector.

Era eu, naquele dia triste em que te toquei no braço sem querer sobressaltar-te e te pedi que me deixasses falar e que só então dissesses o que houvesse a dizer. Era eu, entregue a ti em meia dúzia de frases, clichés tão banais quanto certeiros. Encantei-me nos teus olhos quando os vi pela primeira vez, ainda sem entender o que via. Memorizei cada espaço do teu corpo, cada traço do teu rosto, cada gesto que acho que nem dás conta de fazer. Levei-me ali, àquele sítio onde te encontrei por acaso, dias seguidos até te encontrar novamente. Levei-me ali, ao momento em que agarras no no chá quente e o bebes antes que arrefeça, a chávena a aquecer-te as mãos enquanto lês.

Prendes-me e não sabes. Descobri que isto há-de ter nome, por muito que eu viva enleado no medo. Eu sei como isto se chama, ainda que não saiba o teu nome nem precise de o saber. Mas queria que soubesses que é só por ti que aqui volto, pelo teu sorriso, pelo ar distante que tens quando lês, pelos novelos que fazes quando enrolas o cabelo e que isso acontece quando lês qualquer coisa que mexe contigo. Não te conheço, mas sei o nome do que aqui me traz. E quero que saibas que és tu, a tua timidez, a tua beleza calada, que tens sido tu o fio condutor dos meus dias e agora não tenho mais nada para te dizer

(e o silêncio desceu sobre nós, três segundo eternos, gelados, distantes. E tu)

Chamo-me Ana.

1 comentário:

  1. Ai que bom, ai que bom :-)
    O que me soube bem ao abrir a página e ver esta rubrica do 'coração nas mãos'...
    Adoro estes contos!
    Obrigada por colocar novamente esta rubrica
    Beijinhos***

    ResponderEliminar

Obrigada!