-->

Páginas

04 abril 2014

Um fim de tarde mais que perfeito

Peguei na "minha" Meg e fomos ao lançamento do livro do João Tordo. Se já estava enredada naquela história, com mais vontade fiquei de a ler rapidamente, depois de ouvir o José Eduardo Agualusa e o próprio João a falar sobre ela. Foi bom ver aquela sala cheia a assistir ao lançamento de mais um livro deste nosso autor que merece salas cheias, sempre. Merece mesmo. E não digo isto por simpatizar com ele-pessoa, mas sim por lhe reconhecer um mérito imenso a ele-escritor. Acho mesmo que ele é o melhor da geração dele - tem uma escrita simples mas tão magnética; simples, mas tão cinematográfica; é daqueles que nos põe dentro do filme assim que arranca o primeiro parágrafo e que só nos solta após o último ponto final. Não, na verdade, nem isso: porque depois fica aquele sentimento de "ora bolas, queria tanto continuar a ler esta história, queria tanto saber por que caminhos seguem estas personagens". A parte chata? Livro novo só daqui a um ano, aposto.

Foto: Carol Puntel, descaradamente roubada do Facebook do João Tordo

No regresso a casa, a conversa sempre fluída com a Meg, que eu adoro de paixão - foste uma descoberta tão boa, miúda! (Mas trata de ler o livro, que isto merece honras de estado!)
E este pôr-do-sol maravilhoso, Lisboa a invadir-me as entranhas, a dar-me palavras para alinhar. Não podia ter sido melhor!

2 comentários:

  1. Ainda não li nada dele. Mas já me aguçou a curiosidade!

    ResponderEliminar
  2. Obrigada por pores por palavras aquilo que hoje não tenho capacidade para escrever! Love ya*

    ResponderEliminar

Obrigada!