-->

Páginas

27 maio 2014

Breve reflexão sobre a marca NOS

Era uma vez a ZON. Tinha um logótipo que, mais volta menos volta, se lia da mesma maneira na vertical e na horizontal. Lendo de trás para a frente, a ZON era NOZ. Ora a noz-fruto-seco é uma maravilha da natureza. É um fruto forte, cujo miolo se assemelha a... um cérebro. E o cérebro é o centro de comando do nosso corpo e, por conseguinte, da nossa vida. (Parece que estou com os copos? Esperem que isto tudo já vai fazer sentido).

As mil e quinhentas marcas da família da ZON (a sério, aqui há dias estive a falar disto com o meu marido e era um porradão de marcas, de identidades, de coisas a baralhar!) juntaram-se e o que é que nasce? A NOS.

Ora, uma marca que se assume com um erro ortográfico é coisa que começa logo mal. NOS não é "nós" nem é "noz". É "nos", que se lê "nus". O acento faz falta, sim. E se em vez de terem ido buscar uma agência estrangeira, tivessem trabalhado com uma agência portuguesa, acredito que a coisa seria bem diferente.

Reparem: a coisa nem era muito complicada... reuniam-se as tais mil e quinhentas marcas numa só: NOZ. Que era ZON ao contrário. Mantém-se a ligação à marca inicial, mas há todo um novo conceito. E aproveitando o facto de que a noz-fruto é coisa que se parece com um cérebro, era simples brincar com isso e conseguir uma nova marca forte e, acima de tudo, com sentido. NOS, sem acento, mas que se lê "nós" (ou noz, dá no mesmo) é parvo. E uma marca deste calibre que se assume como uma idiotice, bem... não é preciso dizer mais nada, pois não?

4 comentários:

  1. Para mim, uma marca que decide mandar fora todos os valores fortes que uma ZON e uma OPTIMUS construíram ao longo dos anos em vez de aproveitar e construir a partir daí não me merece respeito nenhum. Até podem vir a ser uma grande marca, mas não consigo aceitar este posicionamento como normal e aceitável.

    ResponderEliminar
  2. Exactamente o meu pensamento. Quando me deparei com a nova marca pela primeira vez também comentei logo que aquilo era um erro ortográfico disfarçado de marca.
    E não percebo como se descarta assim marcas fortes por isto. E gostei da resposta da concorrência (embora não goste do novo anúncio, gosto da frase final)

    ResponderEliminar
  3. Então e o novo partido do Mário Machado? Nova Ordem Social... (ora vê lá as iniciais do dito...)!

    ResponderEliminar
  4. Só me apetece empurrar uma das linhas para cima... et voilà: NÓS!

    ResponderEliminar

Obrigada!